Depoimentos

Publique aqui seu depoimento, sua experiência pessoal com a fibrilação atrial. Fale sobre técnicas alternativas e/ou procedimentos adotadas para conviver melhor com o problema. Ou ainda, para aqueles que se aventuraram em uma ablação por cateter, por favor, contem como foi a experiência e como estão se sentindo atualmente.

Os depoimentos serão enviados automaticamente para mim, e, logo após minha aprovação, serão publicados aqui no site. Funciona desta maneira para evitar que comentários criados por robôs de propaganda sejam publicados indevidamente. Normalmente em 24h seu comentário já deve estar aprovado e disponível para todos os leitores do blog.

429 Comentários

429 opiniões sobre “Depoimentos

Navegação de Comentários

  1. Nome: Luiz Tadeu O Soares

    Email: Ltosoares10@gmail.com

    Idade: 60 anos

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Rio Grande do Norte

    Profissão: Bancário aposentado

    Medicamentos: Selozok e farvarina

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 7 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Caros amigos, um abraço a todos ! Tenho 60 anos de idade e moro em Natal Rio Grande do Norte , a primeira vez que eu tive fribilacao atrial foi em 2009. Mesmo medicado com Ancoran 200 mg , selozok 100 mg e farvarina 5mg,diariamente , continuei tendo crises. Nos primeiros anos a cada seis meses e depois elas se tornaram mais frequentes ocorrendo a cada dois meses no último ano. Creio que não há necessidade de relatar os sintomas nas crises, em mim eles eram bem severos. Tentei outras medicações como ritmonorm 300 mg, mas não obtive sucesso. Então meu médico me sugeriu fazer ablação. Procurei o Dr. Flavio no hospital do coração em Natal , arritmologista muito experiente e que vem fazendo o procedimento de ablação a muitos anos. Ele me explicou todo procedimento , o que me deixou muito tranquilo e confiante. O hospital está equipado com equipamentos de última geração e eles fazem a ablação toda semana . Fiz a ablação no dia 9 de dezembro, a recuperação foi super tranquila sem nenhum dos sintomas relatados em alguns depoimentos de pessoas que fizeram o procedimento. Eu recomendo a todos que sofrem do problema fazer A ablação. espero nunca mais ter crise e após três meses deixarei de turmar todos os medicamentos.

    • Que continue assim sua recuperação Luiz. Obrigado por compartilhar sua experiência e pela coragem de fazer o procedimento. Abraço.

  2. Nome: Teodoro

    Email: fruteo@uol.com.br

    Idade: 63

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Empresario

    Medicamentos:

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 6 meses

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Vou fazer Ablacao em 24 janeiro

  3. Nome: Frederico paiano filho

    Email: Fredericopaianofo@hotimail.com

    Idade: 52

    Sexo: Masculino

    País: brasil

    Estado: Paraná

    Profissão: comerciante

    Medicamentos: sotalol 160 cada 12h

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 15 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Boa noite pessoao tenho fa a 15 anos e ate hoje nao consigo acostumar com ela,pois no começo das arritinias era so extra sistole e com o passar dos anos virou fa ,ai a coisa ficou preta a vida mudou completamente a cada 60 dias me da uma crize ai tenho que ficar internado tomando ancorao na veia e anti coagulante ai vc ja dezencadeia depresao pois a fa começa a limitar sua vida vc fica com medo de sair de casa .viajar etc, tua vida vira um calvario .pois tem bastante gente k consegue conviver com ela k nao é o meu cazo ,meu medico da minha cidade é contra a ablacao mais nao da para viver assim mais ,uma vida em panico pois nao é so vc k sofre é todos os seus familiares tambem .entao marquei o procedimento da ablacao em curitiba pr com o Dr niraj , e espero que Deus me de uma vida nova que tudo de certo no procedimento amem.

  4. Nome: Jussiara Melo

    Email: jussiaramelo@yahoo.com.br

    Idade: 58 anos

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Bahia

    Profissão: Vlogueira e aposentada

    Medicamentos: Puran T4 de 100, Losartana de 50, Ritmonor de 300 2x ao dia, Xarelto de 20 e Sinvascor de 20

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 2 meses

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website: http://meumundoadentroblog.wordpress.com

    Comentário: Dia 3 de Novembro de 2016 tive a minha primeira e séria FA. Fui parar numa UPA e após eletro e uma série de exames, fui medicada por Amiedaorona via venosa.
    Ainda sem saber os motivos e sem me ligar na problemática, levei o mes todo sem medicação e fazendo exames. Deu tudo normal.

    Um mes depois, tive a mais séria FA de todas. Fui para a emergência do Hospital Santa Isabel, em Salvador, referência em cardio. Lá me deram dois comprimidos de Ritmonorm e fizeram vários exames. Graças a Deus, deu todos normais e quando o eletro deu ritmo sinusal, eles me liberaram e me encaminharam urgente ao meu cardio. Logo no outro dia, fui e já levei os exames porém o M.A.P.A acusou pressão arterial altíssima, incluindo aumento durante o sono.

    Daí saí com a receita em mãos e cheia de remédios. Uma das consquências da FA e talvez a mais séria, é o AVC. Eu fiquei assustada quando passei a pesquisar. Por isso a importancia de anticoagular.

    Confesso que estou com o astral muito baixo. E muito assustada porém estou buscando informações sérias e precisas para conviver com a FA e não permitir que outros danos se aproximem.

    De lá para cá, mantenho o ritmo normal salvo alguns momentos onde eu sinto palpitações. Aí eu fico em pânico e tudo piora. Ando com medo mesmo. Meu sonho de morar fora de Salvador, em minha casinha de praia, precisa se manter. Não posso deixar que um evento como esse me atrapalhe a vida. Portanto ando pesquisando e pesquisando mas a cada pesquisa, fico mais triste.

    Dias atrás, aqui na casa de praia onde estou, fiz caminhadas vigorosas e não me senti bem. Ao tirar a pressão, o monitor mostrou uma FC de 110. Fiquei aflita e logo depois perdi o apetite e dei para chorar. A palpitação aumentou e eu tomei o Ritmonorm antes da hora e aos pouco fui melhorando.

    Espero nunca precisar fazer nada invasivo ou cirúrgico. Peço a Deus que as medicações, se não resolverem, ao menos controle. É muito ruim ter a FA de auto resposta, pois é onde a gente sente a taquicardia. Eu não sabia que ela é assinomtica.

    Observo aqui, vários fibrilados que não usam anticoagulante. E tem mais: segundo as 3 fontes médicas que eu pedi outra opinião, TODAS me informaram que somente o Xarelto ou Marevan nos preotegem do AVC. A aspirina ou AAS não tem efeito para FA.

    Vamos ficar alertas e nos cuidar e o melhor: CONVIVER E VIVER a nossa vidinha.

    Um abraço,

  5. Nome: Marcelle

    Email: marcelle_velarde@hotmail.com

    Idade: 32

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Goiás

    Profissão: Do lar

    Medicamentos: Nemhum

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Não tenho

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: Meu esposo fez e tem sintomas e gostaria de entender sobre o assunto para ajudá lo melhor!

  6. Augusto

    Tomei ancoron vários anos meu primeiro médico passou 1 comprimido de 100 MG por dia procurei um especialista mudou para 200 mg pela manhã e 200 mg pela noite hoje tenho minha pele toda manchada com as vista ruim e com dificuldade para respirar e aumento dá tireoide.Tomando atualmente, ritimonorme de 300 mg metade pela manhã e metade a noite, ruvastatina e clonazepam, continuou com FA e arritmia
    Selozoke de 50 mg, marevam de 5 mg,

  7. marco aurelio rodrigues carneiro

    Tive fibrilação Atrial no inicio de 2016. tinha bebido bastante no decorrer da semana , senti alguns desconfortos no peito. Mas continuei fazendo merda. uma semana antes tinha bebido uma bebida jose cuervo , acho que era falsa. então em uma quarta feira fio beber em uma praia de nudismo e correr pelado. ao chegar em casa me sento estranho. toquei uma punheta para distrair . o que ficou mais estranho é que não me sento cansado . foi como se estivesse sem batimentos cardíacos. mas na verdade eu estava fibrilando e não encontrando pulos. mas na madrugada encontrei . batia duas vezes depois três depois uma. todo desconcertante. dei um barrigada no banheiro e fui ao hospital. La o meu pesadelo se concretizou. fui para UTI emergencial revertido com amiodarona na veia. sai 24 hrs depois tomando selozok todo dia.
    fui a um eletro fisiologista que mudou o remédio para athenolol. Poi o selozok estava me deixando broxa.
    um mês depois veio elas; a extra-sístoles. vocês sabem o que eu to falando. o troco ruim da p….
    tem um bordão que diz “cada mergulho um flash” na extra-sístoles e cada uma é um susto. é como se pulasse um mostro godzila na sua frente por 1 segundo.
    então fui a um cardiologista renomado no RJ. Já publicou 2 livros… acho que não vou ler…
    enfim fiz todos os exames não deu nada, nenhuma cardiopatia nem extra-sístoles no holter. e ainda tive uma síndrome do pânico nesse exame.
    dai ele me deu amiodarona 200mg todo dia. todo santo dia eu tomo. Parou ele diz que é dose mínima que e tranquilo não vão acontecer nada de mal. Mas quando vejo na internet e desesperador… processo evolutivo … tento achar que comigo será diferente. quem sabe volto aqui para contar.
    Hoje tenho palpitações mas acho que é psicossomático. Pois é bem fraquinho e quando me mexo. ex despreguiçar ou mexer no estomago.
    estive vendo seus depoimentos gostaria de dizer uma coisa que ninguém fala. já pararam pra pensar no estilo de vida que vocês levam? as emoções são muito atreladas ao cérebro. pessoas enfartam por emoções fortes. acho que dependendo do estresse , estilo de vida e alimentação bombardeiam o coração que uma hora ou outra vai “bater o pino” , vai dar ruim . é como um carro em alta velocidade com óleo velho ou filtro bem antigo… não houve manutenção adequada. isso tem que ficar ligado

    • marco

      posso dizer uma coisa?
      acho que ninguém ajuda ninguém. Realmente estou perdendo as esperanças.
      Tenho irmãos na área da saúde. peco ajuda as pessoas… não vejo nada…
      tem um medico que esta me dando amiodarona. MAs em todos os outros que eu vou. escuto troco ruim desse remedio
      vou troca de medico…
      gente vamos fazer um grupo de zap… so agente sabe o que passamos . vamos nos unir

  8. Nome: Luiz Cesar

    Email: luizcesaroliveira@yahoo.com.br

    Idade: 36

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Engenheiro Industrial

    Medicamentos: Selozok 50mg

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 2 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Em Fev/14 tive uma taquicardia na qual meus batimentos cardiacos chegaram a 235, fui diagnosticado com dupla via nodal. Resolvi fazer cirurgia para correção desse problema em Ago/14, porém 1 semana antes de realizar a cirurgia, me senti estranho e fui verificar se era alguma coisa, e constatado Fibrilação Atrial, mesmo assim segui com a Ablação para corrigir a dupla via Nodal, o que poderia ser a causa inicial da FA.
    Após realizar a cirurgia (1:30 de procedimento super tranquilo) fiquei bem por uns 4 meses, depois disso comecei sentir extra-sistoles e Fibrilações principalmente a noite antes de deitar, no inicio eram segundos, que se transformaram em minutos e depois horas.
    Resolvi tentar a ablação (ja que a primeira havia sido tranquila), e exatamente 1 ano após a primeira ablação, fiz essa ablação para FA que durou 6:30 de procedimento, 1 dia na UTI em recuperação e liberado no segundo dia.
    Tomei Xarelto, Ritmonorm por 3 meses, depois fiz alguns exames, meus batimentos mantiveram um ritmo um pouco alto (faixa de 110, ou 90 em repouso), e foi receitado Selozok 50mg.
    Hoje faz 1,5 anos da cirurgia, no geral me sinto muito bem, as vezes algumas extar sistoles. Faço acompanhamentos e no holter sempre aparece episodios muito curtos de arritmias, nada que necessite de medicamento ou intervenções.
    Tentei fazer exercicios (corrida) mas sinceramente quando iniciei senti algumas extra sistoles a mais entao resolvi dar um tempo. Não sinto que posso voltar como era antes, porém estou super feliz com a situação, me considero cardiopata porém controlado. Recomendo a cirurgia sim, é super tranquilo, você não vai ver nada, só quando deitar e de repente ja esta no quarto.
    Antes da cirurgia era Fibrilação frequente.
    Graças a Deus estou controlado, porém ainda com medicamento Selozok que ajuda a baixar a adrenalina.
    Fiquem com Deus

  9. D.S.

    Arno, penso que a sua situação sendo estável, e como está protegido com o anticoagulante Eliquis, não correrá grandes riscos. De qualquer forma, uma consulta ao cardiologista é sempre recomendável.
    Eu tenho fibrilhação paroxística e as minhas crises não são de ignorar. Vou fazer ablação!
    Um abraço!

  10. Nome: Arno

    Email: arno@mhbpar.com.br

    Idade: 67

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Rio Grande do Sul

    Profissão: Empresário

    Medicamentos: ELIQUIS 5mg

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 2 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: Sou fibrilado crônico assintomático. Quando descoberta a condição a pouco mais de 2 anos a ablação já não era recomendada pelo longo período de fibrilação já vivido pois tinha histórico de mais de 30 anos com extra sístoles que acabaram revertendo em algum momento para fibrilação. Tenho evitado os cardiologistas na medida do possível pois a cada nova consulta sugerem mais uma medicação (como beta bloqueador) e me sinto como um objeto raro que merece estudo e experimentos. Tenho uma vida normal evitando excessos e caminhada ao invés de automóvel sempre que possível. Aposentado com engenheiro em telecomunicações me dedico como diretor de finanças em duas empresas para manter o cérebro e corpo ocupado. Tenho poucas informações sobre perspectivas de vida para fibrilados e não procuro muito a internet pois as informações podem ser falsas ou erradas. Sequer sei diferenciar as mudanças pela condição cardíacas e as da própria idade já que elas se sobrepõem. Gostaria de saber de outros nesta condição pois não conheço ninguém pessoalmente nesta situação.

    • ronaldomarinho65

      Boa tarde.

      Fiz a ablação depois de dois anos de arritmia, também e fui sucedido parcialmente, mas estou muito melhor do que antes. Tenho 51 anos hoje, mas, fiz com 50, e meu médico foi muito seguro ao me recomendar.
      Tratei no hospital Instituto Biocor em BH e lá são muito bons.
      Talvez, valha a pena uma visita sua lá.

      Sucesso!!

Navegação de Comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: