Depoimentos

Publique aqui seu depoimento, sua experiência pessoal com a fibrilação atrial. Fale sobre técnicas alternativas e/ou procedimentos adotadas para conviver melhor com o problema. Ou ainda, para aqueles que se aventuraram em uma ablação por cateter, por favor, contem como foi a experiência e como estão se sentindo atualmente.

Os depoimentos serão enviados automaticamente para mim, e, logo após minha aprovação, serão publicados aqui no site. Funciona desta maneira para evitar que comentários criados por robôs de propaganda sejam publicados indevidamente. Normalmente em 24h seu comentário já deve estar aprovado e disponível para todos os leitores do blog.

Anúncios
506 Comentários

506 opiniões sobre “Depoimentos

Navegação de Comentários

  1. Nome: Claudio

    Email: Claudiotavares20diotavares20@hotmail.com

    Idade: 55

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Comerciante

    Medicamentos: Selozok

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Estrasistoles refluxo na válvula mitral

    Já pensou em fazer ablação?:

    Website:

    Comentário: Quero conhecer pessoas com mesmo problema para trocar dicas e experiências meu meu zap 11992555950.

  2. Nome: Ricardo

    Email: voltarellicet@gmail.com

    Idade: 47

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Agente de trânsito

    Medicamentos: Atenolol

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 3 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Na verdade me curei da fibrilação atrial após procedimento de ablação cardíaca

  3. Jacintho

    Boa tarde!!!
    Estou fazendo exames de sangue e ecocardiográfico. Fiquei na UTI para reverter uma disritmia por remédios, voltei para casa com infecçao urinária. Não conseguia urinar direito e urinava muitas vezs seguidamente. A disritmia voltou, fui internado novamente. Como elas não cessavam os médicos sugeriram uma CARDIOVERSÃO. Na hora que foram executar, eu estava bem mais calmo e a TAQUICARDIA reverteu para os níveis normais, daí, a médica mandou abortar o PROCEDIMENTO. Um dia após, voltou a disritmia. Indicaram de novo a CARDIOVERSÃO que foi feita “com êxito” e posteriormente, um ou dois dias depois, a TAQUICARDIA voltou a se manifestar. Chamaram um médico eletrofisiologista e o mesmo fez um eletrocardiograma, sugerindo outro procedimento, o “ABLAÇÃO POR CATETER”. Foi feito, cauterizado uma arritmia (FLUTTER) e fui prá casa no dia seguinte. Chegando em casa, voltou tudo de novo, taquicardia, palpitações, etc. O médico quis e ver e passou um EXAME DE HOLTER. Fiz o exame e ao entregar-lhe, o mesmo disse que eu tenho outra arritmia não detectada na ABLAÇAO POR CATETER e que eu deveria fazer outra, agora com anestesia geral ou fazer uso de antiarritmicos e anticoagulantes pelo resto da vida. Preferi optar pelo procedimento, só que tem dois dias que estou com muita diarréia, vomitando e hoje urinei sangue. Estou muito preocupado. Não sei se esse procedimento vai curar ou não de uma vez. Estou atribuindo tudo isso à minha ansiedade generalizada, muito excessiva, e, tenho próstata aumentada (HIPERPLASIA BENÍGNA). Faço uso de PRADAXA de 150 mg, ANCORON 200 mg e CLORIDRATO DE VERAPRANIL 120 mg.
    PRADAXA como anticoagulante, seria ele que está fazendo o distúrbio gastrointestinal e HEMATÚRIA INICIAL MACROSCÓPICA INICIAL? Obrigado pela resposta, antecipadamente,

  4. Nome: Maria de Fátima Sampaio

    Email: mfatima_sampaio@yahoo.com.br

    Idade: 64

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Bahia

    Profissão: Arquiteta

    Medicamentos: Sotalo(160mg)l Ass prevent

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Acho que sempre

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Boa tarde . Tive o diagnóstico há cerca de 15 anos. Tomei ritmonorm durante 12canos e como não estava resolvendo passei a tomar amiodarona. Porém tive alterações no fígado. Suspendeu e tomo o sotalol q tb me faz sentir as extra sistoles mais fortes. Por isso a ablacao .

    • Maria de Fatima, obrigado pelo seu comentário. Qual foi o resultado da sua ablação e quando fizeste? Obrigado, Luiz.

  5. Nome: Paulo Malaquias

    Email: prpmalaquias@yahoo.com.br

    Idade: 58 anos

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Bahia

    Profissão: Contador

    Medicamentos: Ritmonorm, Ablok, Aradois

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 06 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: A aproximadamente 06 anos iniciei tendo Fibrilação Atrial, minha primeira vez sentir apenas um desconforto nos batimentos do coração e procurei uma emergência em um hospital de Salvador/BA, quando fui informado pela médica que estava tendo uma crise de Fibrilação Atrial e que deveria ficar em observação em uma UTI para reversão. No primeiro momento não aceitei a condição de ter que ficar em uma UTI, pois tinha pressão arterial 120 x 80 ecocardiograma normal, Eco Transesofágico normal sem coágulos. Mais fui orientado pelo médico Cardiologista que me acompanhava a aceitar e me internei na UTI. No outro dia pela manhã houve a reversão e obtive alta do Hospital. A partir dai passei a ter estes episódios pelo menos 02 vezes ao ano, quando fui encaminhado para umas das pessoas mais especiais que conheço minha médica Dra. Jussara Pinheiro, me orientou completamente me medicou e toquei a minha vida. em 2015 passei a ter episódios de Fibrilação mesmo com as medicações e fui orientado pela Dra. Jussarra a efetuar a Ablação. Realizei o procedimento com a Dra. Jussara Pinheiro em parceria com o Dr. Luis Magalhães em março 2016 e até o presente momento nunca mais sentir nada de Fibrilação. Continuo tomando as mesmas medicações.

  6. Nome: Laís Garcia

    Email: lais_lgc@hotmail.com

    Idade: 28

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Empresária

    Medicamentos: Selozok 25mg

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Mais ou menos uns 10 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Nossa estou impressionada com todos esses depoimentos, minha história é semelhante a muitos de vocês, tive palpitações a uns 10 anos atrás, fiz todos os exames e também não tinha nada.
    Passaram todos esses anos e agora em janeiro/2017 comecei a ter novamente por conta de ansiedade, Fui ao pronto socorro algumas vezes e me davam calmantes, até que em abril/2017 apareceu no eletro e fiquei 11 dias na UTI em observação, tive uma frequência bem alta da dentro, foi 211 bpm revertido com ancoron. Enfim.. sai de la procurei Dr Esteban e fizemos Ablacao agora 1/9/2017 (hospital total cor), mais fiquei muito assustada por que ainda tenho palpitação, e agora lendo alguns relatos vi que não ficarei livre disso tão rápido como imaginava.
    Voltei a tomar remédio, Parei de tomar a cervejinha que gostava, parei de ir a vários lugares com medo de passar mal, parei com academia, mais pelo que estava lendo aqui parece que não vai adiantar parar a vida por que ela não tem uma cura definitiva.
    Fico triste por um lado gostava muito de ir a barzinhos, nada exagerado, mais agora tomando remédio não posso mais.
    Mais se Deus quiz assim só nos resta aceitar…

    • Eduardo

      Lais,

      Você se acostuma! Tenho FA a 20 anos. Começou com umas extrassístole e depois de uma cirurgia de apêndice senti a primeira crise verdadeira de FA de madrugada. Por medo fui procurar médico em uma crise após 15 anos. Fiquei em silêncio sofrendo por este tempo todo. O negócio é ter calma e saber controlar as emoções. Nos casos em que o coração é normal estruturalmente, exercícios físicos até melhoram a condição. Eu nunca tive uma crise fazendo exercício. Todas foram iniciadas por estresse, tensão, nervosismo e tomando água ou refrigerante, porém no estresse também. Tem que saber lidar. Hoje tomo somente 125 mg de Selozok e estou com 3 anos sem crise. De vez em quando sinto uma pequena extrassístole mas nada preocupante. Quando sentir que vai começar force uma tosse, balance os preços que costuma passar. Coma e beba devagar e aos poucos também para que a massa de alimentos e água não faça o esôfago esbarrar no átrio e inicie a FA.

    • Diego

      Vou fazer a ablacao com o Dr. Esteban também, me disse ser um procedimenro tranquilo.
      Estou meio preocupado pelo fato de ter que fazer praticamente acordado

  7. Nome: Rosana Lima

    Email: Rosanalima68@hotmail.com

    Idade: 24

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Ceará

    Profissão:

    Medicamentos:

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 6 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Olá me chamo Rosana desde os meus 18 anos tenho crises de taquicardia, mais essas crises vinham com o tempo muito sentia agora, e passava uns 6 a 7 meses sem sentir nada. Eis que fiquei grávida tive minha bebê em setembro de 2016 e tudo corria bem. Em dezembro tive uma crise muito forte enquanto dormia, as minhas taquicardia não durava 4 minutos e parava, essa durou mais de meia hora fui até emergência e lá me levaram direto pra sala de medicação onde levei 3 injeções de adenosina pra frear o coração. Lá conheci uma doutora que me falou da ablação pois ainda não conhecia, ela já me passou de imediato vários exames e me encaminhou para um médico que iria fazer o procedimento. Em março de 2017 fiz ablação procedimento levou 1 hora, não vi nada adormeci e acordei na sala de recuperação. O médico informou que a ablação foi um sucesso mais que eu poderia ter ameaça de taquicardia durante 6 meses mais que não me preocupasse. Então hoje 6 meses da ablação estava dormindo tive uma taquicardia novamente porém durou alguns minutos e passou, mais ainda tô com sensação de coração acelerado tomava atenolol 25mg hoje não tomo nada. Vou fazer um holter pra vê o que aconteceu, acredito que seja psicológico pois ando muito estressada. Mais pra quem tem dúvida de fazer ablação só digo uma coisa Faça. É tranquilo e depois vc nem vai lembra que teve esse problema, hoje em dia prático esporte até muito intenso e vivo uma vida normal fiquei triste com esse episódio mais tenho fé em Deus que foi um fato isolado.
    Abraços a todos.

  8. Nome: Aparecida

    Email: cidaf960@gmail.com

    Idade: 57

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado:

    Profissão: Artesã

    Medicamentos: ritmonorm ,corus ,selozok

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: na realidade não sei..tive um AVC a um ano

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Olá..fiz um ablação e como tive o AVC continuei a tomar o eliquis ,mas tive uma hemorragia no vitreo e tive q suspender a medicação .O medico então me indicou para fazer um procedimento chamado oclusão da auricoleta.Gostaria de saber se alguem aqui já fez.Felicidades a todos e mto obrigada.

  9. Nome: Geórgia

    Email: gafreis@gmail.com

    Idade: 42

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Distrito Federal

    Profissão: Analista Administrativo

    Medicamentos: metropolol

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: tenho sintomas há mais de 20 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Olá, boa noite!
    Resolvi deixar aqui meu depoimento, porque este blog me ajudou muito, principalmente na véspera do procedimento da minha ablação.
    Desde adolescência notei que tinha batimentos acelerados, e com o tempo e idade foi piorando, passei a sentir cansaço e fadiga, e através de exames descobri a taquicardia supraventricular atrial, não achava que era sério, fui em alguns médicos mas não resolveram meu problema. Comecei a tomar remédio em 2011, mas mesmo assim sentia palpitações. Em 2013, depois de uma noite de festa, tive uma crise onde meu coração batia entre 50 e 175bpm de forma totalmente descompassada, fui parar no Incor e fiz uma reversão com Adenosina, foi aí que tive consciência de que precisaria de tratar do meu problema com mais seriedade, e que não era tão simples como eu pensava. Mesmo com medicação o problema persistia, ocasionalmente tinha arritmia. No início deste ano, comecei a sentir o coração batendo lento durante as crises, ou seja, batia de 35 a 150bpm, decidi que era hora de procurar um profissional competente pra um tratamento definitivo. Assim, através da indicação de minha irmã, procurei o Dr. josé Carlos Quináglia e fui atendida em seu consultório. Sua consulta foi cara, mas foi o melhor investimento que fiz até hoje, me atendeu com muito carinho, dedicação, e com sua vasta experiência detectou meu problema apenas com estetoscópio, mesmo antes de realizar exames.Excelente e renomado cardiologista, com currículo invejável, me encaminhou para o Hospital de Base de Brasília (onde trabalha na área de cardiologia, e foi Diretor entre 2004 e 2005). Lá fiz acompanhamento com Dr. Jairo, também excelente cardiologista, especialista em arritmia, e minha ablação foi agendada para o dia 22 de agosto 2017. Fiz o estudo eletrofisiológico no Instituto Cardiológico do DF, que fica no HFA. Resumindo o estudo, foi rápido, ás 08:25 colocaram os eletrodos, colocaram o soro, e amarraram meus braços para que eu não mexesse durante o procedimento, deram alguns medicamentos, como antibiótico, anti inflamatório, sedativo, anestesia e apaguei… fizeram um corte na virilha e o médico não usou medicação para estimular a arritmia porque detectou o problema durante o exame, fez a cauterização onde estava disparando e pronto, acordei às 11:25, não senti nada, nenhum incômodo, lanche leve às 11:40, e fiquei de repouso em uma sala aguardando ida para o quarto até as 16:30, pude me levantar às 17h, jantei às 18:30, tomei um analgésico com causa de uma leve dor de cabeça e às 19h me tiraram o soro. Dormi bem e acordei hoje 23 de agosto muito bem, olharam pressão, fizeram eletro, tudo bem, e recebi alta as 09:45, fui muito bem atendida e o hospital é excelente, só tenho a agradecer, sei que foi Deus que me atendeu para que saísse tudo tão perfeito. No momento sinto leve dor na perna direita, onde foi feita a punção e o único pequeno incômodo é que às vezes quando respiro sinto uma dorzinha leve no peito, mas é por causa da cauterização da veia que disparava no coração. Meus batimentos estão entre 95 e 110, mas leva um tempo para estabilizar, não está bate mais descompassado. Agora tenho retorno com meu médico, enfim, quem tiver necessidade faça, sou super medrosa e mesmo assim faria novamente caso necessitasse, aliás devia ter feito antes. Não estou usando mais metoprolol Espero ter ajudado. Abraços!

    • obrigado pelo seu depoimento Geórgia! A sua arritmia era flutter ou fibrilação atrial? Obrigado!

      • Georgia

        Olá, por nada…rsrs..fibrilação atrial. Qualquer dúvida é só chamar. Abraços.

  10. Nome: Maicon Roberto Bueno Cosenza

    Email: Maiconrbc@gmail.com

    Idade: 39

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Moto boy

    Medicamentos: Amiodarona e paroxetina

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 2 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Boa tarde eu comecei a tomar amiodarona a 5 dias comecei a ter arritmias tipo coração descompassado fiz Holter nao deu em nada fiz eco coração perfeito e o médico disse para eu parar com todo tipo de comida com glúten e parar com cerveja pois eu bebia todos os dias só que se alguém pudesse me dar uma resposta aqui pois perguntei ao médico 3 vezes e ele não soube me falar (disfarçou) em 2 anos tive 5 crises todas após beber água porque será e eu não me sinto bem tomando esse amiodarona vc esta tendo alguma reação queria saber muito porque ao tomar água me atacava as crises de arritmias com o descompasso do coração

    • Flavia Chaves

      Oi Maicon. Minhas primeiras crises também foram quando eu tomava agua. Eu insistia tanto com meu medico e ele dizia que era coincidência, que não havia relação. Nunca acreditei nessa coincidência.
      Acredito q num futuro eles descobrirão essa relação.
      Minhas crises sempre tiveram relação com ingestão e digestão de alimentos.
      Um abraço e saúde pra nós!

      • Eduardo

        Pode não parecer mas a explicação é muito simples. Quando tomamos líquidos ou comemos, a medida que desce o canal do esôfago em algum momento este “bolo” de água ou comida passa e encosta nos átrios. Pode acontecer de esbarrar justamente na área onde está o problema elétrico e iniciar a arritmia. O conselho que dou é, comer e tomar líquidos devagar e quantidades menores. Tenho bastante experiência nisso pois já tenho FA a mais de 20 anos.

      • muito interessante, quando eu tomava refrigerantes, principalmente Guaraná quase sempre me disparava a fibrilação. Ou quando estava fibrilado algumas vezes parava a fibrilação ao ingerir qualquer bebida com gás. Se é coincidência eu não sei, só sei dizer que nosso corpo é extremamente complexo e temos que aprender a interagir com ele da melhor forma possível. Essa dica de comer devagar é muito importante mesmo, obrigado pela contribuição!

      • Eduardo

        Não é coincidência. É físico mesmo. É como se levar uma pancada no peito; tem gente que coração para, tem gente que fibrila. Por isso, quando está iniciando a fibrilação, quando sentir uma extrassístole force uma tosse, chacoalhe os braços que acontece de às vezes reverter.

  11. Nome: Kenya

    Email: Kenya 11@gmail.com

    Idade: 43

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Faxineira

    Medicamentos: Lorzatana paroxetina Rivotril

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Desde quando tinha 13 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website: http://Kenya%2011@gmail.com

    Comentário: Estou muito preocupada com esta crises

  12. Nome: Valdir Costa

    Email: valdirct@hotmail.com

    Idade: 57

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Empresario

    Medicamentos: Marevan, carvedilol, aldactone,amiodarona, losartana, puran t4

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Tive após operação de troca de valva mitral , fiz cardioversao, sarei, tomei sibutramina, voltou como glitter. Fiz nova cardioversao, após dois dias o glitter voltou, o médico dobrou a amiodarona e mudei hábitos alimentares, desconfio que as balas Halls pretas que eu consumia estavam provocando arritmia, a partir do momento que parei, estou em ritmo sinusal monitorado por relógio , aparelho de pressão e parece que sarei .

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Tive após operação de troca de valva mitral , fiz cardioversao, sarei, tomei sibutramina, voltou como glitter. Fiz nova cardioversao, após dois dias o fluter voltou, o médico dobrou a amiodarona e mudei hábitos alimentares, desconfio que as balas Halls pretas que eu consumia estavam provocando arritmia, a partir do momento que parei, estou em ritmo sinusal monitorado por relógio , aparelho de pressão e parece que sarei .

  13. Nome: Isabel Cristina de Mello

    Email: Crismel31@bol.com.br

    Idade: 65

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Rio de Janeiro

    Profissão: Do lar

    Medicamentos: Selozok, hidroclorotiazida com lozartana de 50mg e levotiroxina de 100

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Descobri a 3 meses quando passei mal

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: Tenho hipotiroidismo,pressãoarterial alta ,e a 3 meses senti tonteira e vomitei váriasvezes e meu ECG deu extrasistose ventricular e sou fumante,as vezes sinto falta de ar,será que tenho uma doença grave no coração?As extrasistose me incomodam muito,será que com Selozok de 25mg partido no meio posso ficar curada?

    • D.S.

      Acho que deve consultar o médico cardiologista mesmo.Ficaria mais tranquila. O fumo é também um grande inimigo do coração.

  14. Nome: Marco antonio

    Email: mantonioz_5@hotmail.com

    Idade: 60

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Bancario

    Medicamentos: Lozartana

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?:

    Já pensou em fazer ablação?:

    Website:

    Comentário: Fiz ablaçao a 8 meses, e não tive mais fibrilação. Somente tenho alguns episódios de extra sístole. Antes de operar estava com 2440 em hother de 24hs, hj tenho 74. O médico disse que isso é normal nas posso voltar a correr 5km

  15. Nome: Maysa

    Email: Maysavalente@gmail.com

    Idade: 26

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Pará

    Profissão:

    Medicamentos:

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 5 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Olá, me chamo Maysa e sou de Belém do Pará.
    A uns 5 anos atrás eu descobri que sofria de arritmia cardíaca. Comecei a usar o amiodarona, porém só a medicação não adiantava. Me informaram sobre o procedimento de ablação, mas o meu plano não cobria. Fui em um médio especialista em arritmia (aqui em Belém só tem 3 especialistas) . Na primeira oportunidade tentei fazer pelo sus, porém eles falavam que nao tinham material para realizar o procedimento. Foi quando eu paguei uma consulta particular em um arritmologista, o mesmo me informou o valor da cirurgia (um absurdo). Como tenho plano resolvi da entrada no pedido da cirurgia no início do ano e quando foi agora em junho eles entraram em contato comigo e me informaram que o procedimento seria reliazado em Recife. No dia 20 de junho viajei para Recife tudo a custo do plano de saúde. No dia 21 de junho realizei a tão sonhada ablação. Já se passaram 4 dias após a cirurgia e estou muito bem. Sem remédio nenhum, sem sintomas. Claro que tem que ficar em repouso. Mas digo uma coisa. Se for preciso fazer a ablação, vá sem medo. Pois você não sente nada. Eu super recomendo 🙌
    Hoje estou livre de remédio, posso fazer as coisas sem medo.
    Quem quiser saber mais informações, pode mandar um e-mail que eu respondo.

    Lembre-se, tudo é no tempo de Deus!

    • Eduardo

      Sem ser pessimista, mas 4 dias não é suficiente para saber se vc foi curada 100%. A cicatrização é demorada e neste processo alguma “ponte” pode ser reestabelecida e votar com algum foco. Mas vamos torcer que não precise fazer novo procedimento.

      • Maysa

        Sim sim, verdade.
        Por isso vou retornar ao médico daqui a 15 dias, mas com outro médico. Já estou como laudo. A minha arritmia era a supraventricular.

  16. Nome: Patricio de freitas

    Email: patriciofreitas@outlook.com.br

    Idade: 29

    Sexo: Masculino

    País: brasil

    Estado: Minas Gerais

    Profissão: autonomo

    Medicamentos: propafenona,atenolol, enalapril,marevam

    Pressão Alta:

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 1ano

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Eu fui submetido a cardioversao quimica nao deu certo tive que fazer cardioversao eletrica deu certo no primeiro mes mais depois volto dai fizeram mais uma vez cardioversao quimica e gracas a deus venho me sentindo bem fazendo acompanhamento com cardiologista nao tive mais episodios mais nao quero tomar remedio a vida toda quero voltar a ter uma vida normal estou aguardando a ablacao por cateter deixo tudo nas maos de deus ele sabe o melhor pra nos obrigado fiquem com deus…

  17. Nome: Juliana

    Email: julianaa.cenci@gmail.com

    Idade: 24 anos

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Rio Grande do Sul

    Profissão: Do lar

    Medicamentos:

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?:

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: Bom sexta fui ao hospital porque cheguei em casa depois de passar um frio daqueles de moto, quando entrei em casa senti mei coração acelerado e medi a pressao estavam altos cheguei no upa com 160 os batimentos e pressao 16 por 10, a dra me fez eletro, mas deu alteração, dai me disse que seria aritimia, ja tive esses aceleramento eu função das crises de ansiedade e depois pararam, dai fiquei em monitoramento e depois de algumas horaa tudo estabilizou passei o dia todo com ela estabilizada e fui liberada, me encaminhou pro cardiologista e la diZ, taquecardia superventricular! Alguem ja teve isso

  18. Nome: Carlos adriano

    Email: Adrianotenorio2010@hotmail.com

    Idade: 43

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Pernambuco

    Profissão: Supervisor de vendas

    Medicamentos: Xarelto de 20, enalaprio de 5, atenalol de 25 e propafenona de 300

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 1 ano

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Minha FA começou em março de 2016. Tomei medicamentos e não reverteu. Fiz uma cardioversão em junho e a arritimia desapareceu, porém, em março de 2017 depois de alguns exercícios a arritimia voltou. Minha médica sugeriu uma ablação, procedimento que fiz dia 05.05.2017. Hoje me sinto bem, mas estou sentindo um pouco de cansaço e queria saber se quem fez, também sentiu esse incomodo. Hoje não tenho mais arritimia, mas continuo com os medicamentos até 30 dias.

    • Anderson

      Carlos, fiz a ablação em 18-01-2017, na primeira semana me sentia muito cansado e com falta de ar, quando retornei ao medico ele me receitou selozok 25mg,após dois meses fiz o exame de esteira e la estava a arritimia novamente, e ainda sentia um pouco de falta de ar.
      Apos o exame retornei ao medico onde ele trocou a minha medicação, passei a tomar xarelto 20 mg (anticoagulante) e ancoron 200mg. Após uns 25 dia com esse medicamento meu coração estabilizou e ñ sinto falta de ar ou qualquer indisposição.
      Voltei ao medico no dia 08-05-2017 e meu exame de eletro estava perfeito sem nenhuma presença de arritimia. O merico manteve os mesmos medicamentos e marcou uma nova consulta para julho.
      OBs: passei a fazer caminhadas e isso tem me ajudado bastante , inclusive na ultima consulta questionei o medico quanto a pratica de exercicios fisicos/ academia e ele diase que ñ mais tinha restrição e que indicava a pratica inclusive me deu atestado recomendado o exercicio fisico.
      Qualquer duvida estou a disposição .
      paixaade@hotmail.com
      Melhoras ai . Abraço .

  19. Nome: Davi de Lima

    Email: fdl.davi@gmail.com

    Idade: 33

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Distrito Federal

    Profissão: Servidor Publico

    Medicamentos:

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 4

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Amigos,

    Fiz minha ablação no dia 11/04/2017 no ICDF (Instituto de Cardiologia do Distrito Federal) com a equipe do Dr. Álvaro Valetim.
    Cheguei às 08:00 no hospital para dar inicio aos procedimentos pré-procedimento, fiz um Ecocardiograma convencional e depois um Eco Transesofágico, exame semelhante a uma endoscopia, onde são geradas imagens do coração a partir do esofago, este é feito para verificar a existencia de coágulos no coração. Entrei no centro cirurgico às 14:00, ainda meio sonolento devido à sedação do Transesofágico, lembro somente de entrar na sala, depois disso apaguei com a anestesia gereal.
    O exame durou 6hs como foi previsto, acordei meio sonolento no momento em que me levavam da sala de cirurgia para a UTI (Procedimento padrão do ICDF após a ablação), a pressão arterial foi monitorada diretamente de artéria do pulso, também permaneci com um acesso para medicação, sonda para urina, monitoramento dos batimentos e saturação de oxigenio. Na mesma noite em que saí do centro cirurgico fiz uma alimentação leve, pois já se iam 24hs de jejum, depois dormi tranquilo.
    Não foi instalado soro, de medicação tomei apenas omeprazol, ritmonorm e anti-coagulante aplicado na barriga, a unica coisa que senti foi uma irritação na garganta devido à entubação e uma leve dor nas costas ao respirar profundo.
    Na quinta-feira 13/04 de manhã tive alta da UTI e fui para o quarto, onde permaneci até a alta definitiva às 15:30 do mesmo dia. Em todo o periodo internado, levantei sem problemas para tomar banho e urinar após a retirada da sonda.
    Hoje 15/04/2017 estou em casa, sem sentir absolutamente nada, estou tomando um protetor gástrico, anti-arritimico e anti-coagulante, durante 28 dias. Estou de atesntado por 7 dias sem realização de esforço físico, a recuperação completa é de aproximadamente 3 meses.
    Deixo meu contato para quem quiser tirar dúvidas sobre o procedimento.
    abraço a todos.
    fdl.davi@gmail.com

  20. Nome: Ricardo

    Email: Ricardopds33@gmail.com

    Idade: 32

    Sexo: Masculino

    País:

    Estado: Rio de Janeiro

    Profissão:

    Medicamentos:

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?:

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Olá meus amigos meu caso é parecido com o do amigo bruno tive uma palpitações no trabalho aí não liguei depois foi aumentando fiz todos os exames nada fiz até acentilografia do mio cardio nada no houte deu arritmia supra ventricular meu médico falo que benigna não mata pra eu não me preocupa levei minha há vida normal praticando jiu-jitsu aí foi aumentando pássaros 2 anos tive uma febre muito alta por conta da garganta meu batimentos foi a 120 deitado fui para PS me dise ro que não era nada no meu dedo remédio continuei com batimentos alto dormi e acordei com os batimentos 110 fiquei assustador fui no cardiologista fiz outro houte deu arritmia ventricular mais foi pequena o médico disse pra eu não me preocupa toda vez que deito a arritimia ataca meu coração fica com 42 bom ai começa o sofrimento uma atrás da outra não tô mais conseguindo dormi

  21. Dalila

    LILIAN EGGERS CACHIONI, fiz a ablação em Lisboa, Portugal, no Hospital da Luz com a equipa do professor Doutor Pedro Adragão. Um ´cone em matéria de ablação!

  22. Dalila

    Tive FA durante quase 8 anos,com crises periódicas mensais,de algumas horas. Tomei medicação durante todo esse tempo sem,contudo,evitar as crises. As conversões eram feitas em casa com flecainida e sentia-me morrer pois fazia pausas na transição do FA para o ritmo sinusal ( normal). Pedi opinião de outro médico que me aconselhou a ablação. No espaço de 2 meses fiz duas,sendo que a primeira não resultou.Após a segunda estou sem FA e sem medicação. Tudo ainda muito recente mas a minha qualidade de vida mudou completamente. Renasci! Aconselho vivamente a ablação!
    Melhoras! E ccomo a entendo! Força

    • LILIAN EGGERS CACHIONI

      Dalila. Onde vc fez a ablação e qual sua idade?

      • Dalila

        Hospital da Luz , Lisboa. Equipa do professor Pedro Adragão. Uma sumidade na matéria! Tenho 55 anos.

  23. Edu

    Primeiramente tem que se ter tranquilidade. O pior para a FA é o nervosismo, estresse, ansiedade. Já tenho FA a 21 anos. Só que é a a paroxistica. Quando tenho crise dá até descrença de viver mas minhas crises estão bastante espaçadas. De 3 a cada 4 anos. Uma coisa que ajuda demais é o psicológico. Desde quando descobri que tinha, minha primeira crise a ir no medico foram 15 anos. Minha primeira crise foi aos 19 onde acordei de madrugada com o coração totalmente desorientado e acelerado. Fiquei com medo e não falei pra ninguém. Ficou umas 2 horas e reverteu espontaneamente. Minha maior crise foram de 12 horas, que reverteu espontaneamente tbm. 2 médicos já me indicaram a ablação e 2 não indicaram pois estou bem e nem antiarritmico tomo ainda. Só tomo o Selozok, 125 mg dia. Meu coração é normal anatomicamente. Vou esperar mais um pouco pois mesmo tendo tranquilidade, crises espaçadas e mente tranquila me sinto muito privado de fazer algumas coisas, por medo.

  24. Nome: Rosangela Braga Vieira

    Email: rosangela.fmo@Gmail.com

    Idade: 42

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Distrito Federal

    Profissão: Pedagoga

    Medicamentos: Xarelto amiodarona e atenolol

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 9

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Olá! Boa tarde a nove anos atrás comecei a sentir meu coração acelerado desde então nunca mais tive saúde. Já passei por vários médicos. Só agora depois de tanto tempo encontrei alguns que me aconselham a fazer ablação por cateter. Outros falam que devido ter passado tanto tempo não seria eficaz. Em dezembro de 2016 fiz a cardioversão. Só que depois de então quando deito sinto meu coração bater na cabeça, na garganta no ouvido e isso está me incomodando de mais. Já nem consigo dormir direito a qualquer hora que deito. Vcs podem me falar o que está acontecendo comigo? Por favor me ajudem! Obrigada!

    • D.S.

      Rosangela,a FA é coisa que só por si não mata mas tira-nos a qualidade de vida. Já tive muitas crises durante vários anos. Fiz ablação e felizmente as coisasmelhoraram e muito. Já há 6 meses que não a tenho. Apesar de sentir extrasssistoles,nada se compara à situação anterior.
      Tive FA cerca de 8 anos.

  25. Dalila

    Augusto Luiz, passei igual sofrimento durante quase 8 anos com crises mensais horriveis. Medicada com flecainida e um anticoagulante (Xarelto) era o mesmo que nada pois sentia- me cada vez pior. Compreendo -o perfeitamente! É horrivel!
    Mudei de médico que me aconselhou a ablação. A primeira sem grande sucesso. Mas passado 1 mês repeti-a e estou muito bem. E sem medicação. Não hesite ! E não perca a esperança! Importante é estar anticoagulado para ebitar AVCs. Fale nisso ao seu médico. Espero que melhore! Força! Um abraço!

    • Joaquim Parente

      Olá Dalila, bom dia. O processo é através de anestesia geral ou sedação ? Não se sente absolutamente nada durante a intervenção? Se não é indiscrição, qual é o custo total da intervenção?Acabei de utilizar o registador de eventos e penso que não vou escapar a uma ablação para resolver a minha fibrilhação atrial com o Dr. Pedro Adragão no Hospital da Luz. Muito obrigado !

      • Dalila

        Olá Joaquim!
        A intervenção é com sedação. Senti algum desconforto durante a intervenção mas nada de significativo. Quanto aos custos tudo depende dos seus serviços sociais e /ou dos possíveis seguros que possa ter. No meu caso e porque tenho ADSE o custo foi suportável(????) e rondou os 3000 euros.

  26. Nome: AUGUSTO LUIZ SOUZA TAVARES

    Email: tavvis@gmail.com

    Idade: 56

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Bahia

    Profissão: Autonomo

    Medicamentos: Ritimonorme de 300 1/2 pela manhã e 1/2 pela noite, selozok de 25 marevam de 5 e clonezapam gotas para dormir

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 4 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Bem já passei por vários médicos cada um uma medição diferente ou uma dosagem diferente tomava ancoron de de 100 mg 1 comprimido por dia depois outro médico mudou para 2 comprimido pela manhã e 2 pela noite só que meus pés braços e pescoço ficaram manchado meu exame de tireoide estava o dobro do normal e cansado.o médico substitui pelo ritimonorme as manchas continua e o cansaço também mas a tireoide voltou ao normal quando bebo água gelada amarga demais já natural o sabor normal suco gelado normal minha qualidade de vida está péssima, um bom dia a todos

    • Isis

      Recomendo a ablação. Se não resolver da primeira ou da segunda vez, melhora muito a qualidade de vida.

  27. D.S.

    Marco Aurélio, banana e vinho? Isso dá para rebentar mais o coração! 🙂 Mais o vinho do que a banana, claro!
    Melhoras!
    Um abraço!

    • Isis

      Vinho, aqui o médico autoriza de vez em quando uma taça pequena somente. Não me dá nenhuma reação. Mas quando eu tomo, prefiro somente meia taça. Já bebidas destiladas é para evitar.

  28. Nome: Renato

    Email: renatombarra@hotmail.com

    Idade: 48

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Minas Gerais

    Profissão: Militar

    Medicamentos: Amiodarona

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 3 dias

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: Tive FA atrial dia 01 de abril e estou tomando amiodarona.

    • Cida Rosa

      Está tendo muitas reações com o amiodarona

      • Maicon cosenza

        Boa tarde eu comecei a tomar amiodarona a 5 dias comecei a ter arritmias tipo coração descompassado fiz Holter nao deu em nada fiz eco coração perfeito e o médico disse para eu parar com todo tipo de comida com glúten e parar com cerveja pois eu bebia todos os dias só que se alguém pudesse me dar uma resposta aqui pois perguntei ao médico 3 vezes e ele não soube me falar (disfarçou) em 2 anos tive 5 crises todas após beber água porque será e eu não me sinto bem tomando esse amiodarona vc esta tendo alguma reação

  29. Nome: João carlos luft

    Email: Joaocpuft@hotmail.comj

    Idade: 59

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Rio Grande do Sul

    Profissão: Aposentadp

    Medicamentos: Prafaxa 150 mg duas vezes ao dia

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 5 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: Custo elevado

  30. Nome: Rodrigo

    Email: rodrigobalotin@hotmail.com

    Idade: 36

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Gerente de Contas

    Medicamentos: Ancoron 200mg

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 12 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Pessoal, boa tarde.

    Tenho fibrilação a 12 anos e tive ao todo umas 10 crises no decorrer desse período. No começo tomava o sotacor e não tive resultado, porem depois de tomar o ancoron tive um ótimo resultado e fiquei mais de 10 anos sem nenhuma crise. Nesse ultimo ano tive duas crises e agora resolvi fazer uma ablação, ainda estou fazendo os exames para marcar a ablação, pois quero parar de tomar remédio.
    Minha unica reação que estou tendo é uma falta de ar que vai e volta. minha médica está querendo fazer com que eu pare de tomar os remédios e adote um procedimento que estão fazendo que é chamado de “piil in the pocket” que nada mais é que andar com 2 tipos de remédios que não sei qual são e quando tiver uma crise tomar esses dois remédios. Li que 95% dos casos a crise passa em até 2 horas. Sem ter a necessidade de ir ao hospital.
    Alguém já ouviu falar dessa nova técnica?

    • LILIAN EGGERS CACHIONI

      Olá Rodrigo…..eu já dei o meu depoimento aqui e esse procedimento já funcionou comigo algumas vezes. O medicamento é o Ritmonorm.
      Boa sorte…..Abraço. Lilian

      • Rodrigo

        Liilian, bom dia.

        E você continua com esse procedimento? Você indicaria ele?

      • LILIAN EGGERS CACHIONI

        Tomo 150 mg de propafenoma (ritmonorm) 3 x ao dia…..e mesmo tomando essa medicação todos os dias tenho crises de vez em quando. No momento da crise esse procedimento resolve mas fica sempre o medo de novas crises e é isso que afeta o meu psicológico. Estou amadurecendo a idéia para fazer ablação.

    • marco aurelio rodrigues carneiro

      Bom dia;
      Você toma 200g Ancoron todo dia?! Não tem problema na visão e pulmão ?
      que bom .
      Mas o que é ter por 12 anos ? Muito tempo. Parece que você estava com outra medicação em 2 anos , depois que passou para o amiodariona. Passou , tendo uma crise dez anos depois… 10anos é uma vida. Precisa ver sua qualidade de vida e os fatos que estão propiciando isso.!
      Sua medica esta tentando usar a técnica do remédio de bolso, levando em consideração o tempo entre uma crise e outra.
      Eu tive FA a um ano atrás. Ate então ela não retornou, ou não percebi. Eu me examino sempre. Parei de medir pressão no equipamento que identifica arritmia. Pois estava me fazendo mal. mesmo sem arritimia eu sentia os batimentos cardíacos a todo tempo. isso quase me deixou louco.
      recomento banana e vinho

    • Edu

      Eu já. Inclusive já tomei 2 vezes. A primeira foi no hospital. Me deram 2 comprimidos. Demorou 12 horas. A segunda crise foi no dia de minha consulta após 3 anos da primeira crise. No consultório o médico mandou eu tomar os 2 comprimidos e se não revertesse em 2-4 horas era pra eu ir no hospital. Não reverteu e fui lá no ps. Entrei as 8 e sai às 1 da manhã quando reverteu quimicamente. Tenho a impressão que no meu caso não adianta tomar remédio pois tomando ou não, as crises vão embora em torno de 12 horas. Como se fosse um interruptor desligando o curto circuito.

    • D.S.

      Sim! Eu fazia! Mas sentia-me horrível. É a flecainida que se toma para reverter. Mas cada caso é um caso. Certo?

  31. Nome: Felipe ferreira

    Email: felipebrabus@bol.com.br

    Idade: 30

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Tecnico em vidro automotivo

    Medicamentos: Propafenona

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 1 ano e 7 meses

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Boa noite a todos me chamo felipe venho aqui dividir com vcs o meu caso com a fibrilacao atrial ,em agosto de 2015 tive a primeira crise e mais forte de todas batimentos a 190 por minuto..parei no hospital e me medicaram em fim fui pra casa..o medico me mandou procurar urgente um cardiologista..no dia seguinte voltei a passar muito mal entao passei as pressas em consulta com particular pois nao tenho convenio ,entao medico pediu holter e eco que alias todos deram normal porem o eletro pegou a f.a entao sai do consultorio tomando amildorona entao comecava minha jornada de sofrimento passei muito mal com a medicacao..com muito custo de idas e vindas em posto de saude ate conseguir encaminhamento para um hospital que tratasse f.a apos algum tempo consegui passar no dante pazanesse instituto de cardiologia de sao paulo porem ai comecaram meus problemas passei com o medico do dante e ele mudou meu remedio para propafenona pois eu passava mal com o mesmo ..medico disse que eu tinha fibrilacao atrial paroxistica e pediu novos exames. Fui pra casa depois de 3 semanas tive uma tacardia que se reverteu espontaneamente..depois de mais tres meses tive nova tacardia e vi que o medicamento nao funcionava comigo e eu nao conseguia retorno no dante pazanesse pois as consultas la demora 8 meses pra sairem…entao fiz os exames no hospital e passei na consulta de novo apos aguardar todos esses meses . e o medico disse que meu caso era ablacao pois remedios nao funcionavam comigo …nesse caso ja tinham se passado 1 ano e 2 meses ja tratando pelo dante pazanesse e sofrendo nesse hospital que vira e meche perdia e trocava meus exames por de outros pacientes alias numa dessas trocas fui julgado ter anemia o que nao era vdd..tive entao que procurar uma hematologista pra curar uma anemia que nao existia que foi julgada por troca de exame no hospital dante pazanesse..em fim apos 1 ano e meio tratando no dante eles disseram que fariam minha ablacao entao aguardei 3 meses pra fz ..dentro desse tempo todo eu passava mal diariamente com batimentos acelerados e tonturas fortes..minha vida estava um inferno ja nao conseguia nem trabalhar ..nem fz as coisas mais simples…e entao apos passarem os meses nao me ligaram dizendo a data da cirurgia resumo nao ligaram..entao liguei eu mesmo no dante pazzanesse para saber o que houve e entao recebi a noticia ..vc nao vai fazer a cirurgia pois o estado nao fornece o material se quiser vc espera 2 a 3 anos que vamos ver se sobra material de alguem do convênio pra gente fz a sua cirurgia…entao meu mundo desabou pois eu estava abandonado e passando mal td dia…e sem convenio dependendo do sus e sem dinheiro pra fz no particular que aqui em sp custaria entre 15 a 70 mil reias…foi entao que em umas das crises fui parar no hospital santa marcelina e consegui consulta com um cardiologista dr jeferson que foi um anjo em minha vida me atendeu super bem e fez minha ablacao junto ao dr Alessandro muito bom medico tbm…entao dia 2 de fevereiro de 2017 fiz minha ablacao e hj dia 3 estou em casa em repouso e me sentindo bem e o melhor sem remedios .. Agradeco a Deus primeiro e segundo as irmãs e medicos e equipe de enfermeiros do hospital st marcelina itaquera por minha cura ….amigos nao desistam mantenham a fé sempre …Deus abençoe a todos. Abraco forte…

  32. Nome: Isis Tavares

    Email: isis.soleil@gmail.com

    Idade: 40

    Sexo: Feminino

    País: France

    Estado:

    Profissão: geógrafa

    Medicamentos:

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 1 ano e 6 meses

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Boa tarde a todos! Volto aqui com meu depoimento.

    Final de julho de 2015 comecei a sentir palpitações desordenadas, uns formigamentos também e cansaço. Procurei um médico em agosto e não apareceu nada demais na hora do exame. Poderia ser carência de magnésio e ele receitou um complemento. As palpitações não sumiram, mas acalmaram. Com o fim do tratameto com o suplemento, as palpitações voltaram e mais freqüentes, mais fadiga também. Eu estava desconfiada do que fosse… Em viagem ao Brasil, procurei meu cadiologista e ele pediu exame de holter. Foi detectada e confirmada a fibrilação e ele começaram os anticoagulantes. Voltei de viagem e procurei a médica clínica-geral de onde moro que detectou desta vez que a fibrilação estava constante/persistente e encaminhou-me a um cardiologista eletrofisiologista. Ele me recomendou a ablação que foi realizada em dezembro de 2015 e correu tudo bem, apesar dos focos serem complexos de eliminar(durou a manhã toda como disse-me o médico). Não senti nada depois de acordar da anestesia e durante um mês. Continuei cos anticoagulantes e antiarrítmicos. Depois deste tempo comecei a ter umas crises de algumas horas ou minutos quase todos os dias. Meses mais tarde estas crises foram gradativamente diminuindo para alguns dias na semana e duravam minutos ou segundos; 2 vezes ao mês, etc. A evolução foi boa, mês a mês um pouco melhor. 6 meses depois não precisava mais tomar o anticoagulante. A 9 meses depois da ablação passei 2 meses sem nada sentir. Recomendo a ablação, melhorou muito o meu quadro.
    Mas perto de completar um ano tive umas crises mais longas novamente durante uns 10 dias, parecia que estava voltando a fibrilação novamente. Porém, dias mais tarde passou e estva novamente bem e disposta sem nada sentir. Tinha um exame de holter marcado para início de janeiro deste ano, 2017. Realizei o exame durante um dia sem nada sentir, não anotei nada. Teria consulta um mês depois com o cardiologista. Pouco mais de semana depois o meu cardiologista me telefona e diz que fez a leitura do meu holter e que queria me ver no dia seguinte, pois a FA tinha voltado,mas desta vez eu não sentia nada. Fui no dia seguinte e depois de um eletrocardiograma foi confirmado novamente que FA estava lá persistindo e foi marcada a segunda ablação para fevereiro de 2017.
    Realmente vejo pelos depoimentos e pelo que dizem os médicos, que a fibrilação atrial/auricular persistente dificilmente resolve-se com a realização duma única ablação.Parece que sempre fica ou volta um foco de curto-circuito. Eu espero que a segunda resolva de vez o problema.
    Depois da operação eu voltarei a dar o meu depoimento, contarei como foi.

    Abraços a todos e fiquem no ritmo.

    • Isis, muitíssimo obrigado pelo seu depoimento. A maioria dos casos é resolvido na 2ª ablação. Acredito que o segundo procedimento seja mais tranquilo. Boa recuperação e que se livre dessa doença!

      • Isis

        Obrigada pelo apoio. Que logo eu fique livre de vez da FA!

    • Isis

      Boa tarde!
      Volto aqui para escrever meu depoimento. Realizei minha segunda ablação dia 17 de fevereiro, pois a mesma voltou um ano depois da primeira ablação. Foi eliminada a FA (presistente) do lado esquerdo e havia também desta vez um flutter do lado direito. Tudo correu bem até a noite, quando comecei a ter taquicardia em repouso. Sentada na cama aumentava mais ainda. O cardiologista chegou no dia seguinte pela manhã e reverteu a taquicardia com injeção de adenosina (dá uma sensação ruim e estranha, mas o efeito passa rápido). Fiquei bem depois e o médico me deixou escolher se saíria no dia previsto ou se ficaria um dia a mais ou até dois por segurança. Como parou a taquicardia de vez, optei por partir. Voltaria caso recomeçasse. Felizmente normalizou com ajuda do medicamento nebivolol (é o que ele receitou para taquicardia, embora eu não tenha problema de pressão alta nem baixa).
      Voltei para casa sem quase nada sentir, às vezes um saltos (as extrasístoles provavelmente) ou pontadinhas leves da cicatrização. Normal no primeiro mês segundo o Dr. Em março, tive uma dezena de crises mais significativas de batimentos irregulares que duraram de meia hora a umas três horas. O medo que a FA voltasse foi grande. E desde o fim do mês anterior até agora estou bem, sem nenhuma crise. Ainda tenho que esperar mais um mês e meio de cicatrização total para poder fazer o holter, saber o resultado e possivelmente ficar livre da maioria dos remédios. Parece que desta segunda vez o resultado foi melhor. Ainda estou sob Flecaína 200 mg, Eliquis 10 mg e o Nebivolol somente para o controle da taquicardia sinusal.
      Haja coração!

      Mais uns meses e volto aqui para comentar o resultado.

      Encorajo e desejo boa sorte aos que optarem pela ablação. Principalmente quem tem FA persistente deve tentar, pois melhora muito a vida.

      Abraços.

      • Isis, que bom que está tudo dando certo. O coração vai se ajustando com o tempo. E muito obrigado mesmo por lembrar de postar aqui no blog a sua experiência, tem um valor enorme para mim e para todos os leitores.

  33. Nome: Luci Ângela macedo

    Email: luciangeldemi@yahoo.com.br

    Idade: 45

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Técnica enfermagem

    Medicamentos:

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 30

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Bom dia
    Pessoal na realidade ja fiz ablação foi ótimo
    Minha primeira experiência foi com 15anos eu estava sentada comecei a tossir e repente começou descompasso e apresentei um crise forte não liguei porem me assustei muito.
    Anos passaram apresentei várias crises inclusive nas gestação fiquei internada umas dessas para UTI fui medicada com Adenosina.
    Decorrer anos outras crises fortes onde chegaram a 250bpm.
    Era uma sensação horrivel parecia eu iria morrer em outra crise forte fui para o Ama onde o médico me acompanhou ambulância
    Outras inúmeras crises eu dormindo eles apareciam eu chorava muito doia o peito a garganta .
    Um dia parei no hospital Santa Marcelina Itaquera …ufa graças a Deus ali estava equipe doutor Geferson hospital São Paulo eles estavam la realizando estudos eletro em Pact com arritima me explicaram o problema me dando oprtunidade de estar curada
    Fui pra casa JÁ sem crise mantive repouso agurdei o dia internacao Q foi após 30 dias. Estando eu creio confiante.
    Foi realizado procedimento ..retornei após 15 dias e hoje fazem 10 anos não tive mais crise forte As vezes aparecem mas em segundo volta normal.
    Estou marcando retorno para realizar novos exames.
    Eu indico ablação pra esse tratamento.

  34. Nome: Mariana Lima

    Email: fofuxa_2010@hotmail.com

    Idade: 17

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Estudante

    Medicamentos: Nenhum

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?:

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: Olá eu gostaria de saber o que vcs sentem quando estão com fibrilação tipo o que sentem fisicamente, como o coração de vcs bate, eu venho sentindo meu coração bater forte não acelerado tipo ele tá 80 e bate com tanta força será fibrilação

  35. Nome: Anderson

    Email: paixaade@hotmail.com

    Idade: 33

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Importador

    Medicamentos: Nenhum

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 6 meses

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Bom dia amigos , farei o procedimento amanhã, espero que de tudo certo e resolva o problema , pois sinto muita falta de ar e o coração dispara do nada . Assim que fizer o procedimento volto para falar como foi . Abraço .

    • Boa sorte Anderson!

    • Anderson

      Fiz o procedimento otem , no meu caso o medico fez pela virilha e pela jugular , ñ senti nada só o pescoço que esta um pouco dolorido . Mais ja pude sentir o coração mais calmo , logo que voltei da anestisia tive uma otima sensação que é de ñ sentir o coração bater acelerado e confesso que desde quando descobri o problema e sentia qualquer variação nos batimentos cardiacos .
      Como eu ñ estava tomando nenhum temedio para o coração , o medico mandou continuar sem tomar nada . Daqui uma semana volto em consulta para ver os resultados . Por qnquanto ñ sinto nenhuma dor no peito ou qualquer quaimação.
      Segue abaixo meu contato caso alguem que ira fazer o procedimento tiver alguma duvida .

      paixaade@hotmail.com

      • Que ótima notícia Anderson, você tinha fibrilação atrial a quanto tempo? Abraço e boa recuperação.

      • Anderson

        Eu descobri a 6 meses atrás , quando estava prestes a fazer uma cirurgia e no no momento que estava na mesa cirurgica meu coração disparou e ñ voltava mais , foi desta forma que descobri o problema . Hoje estou no terceiro dia apos o procedimento e me sinto bem , o coração esta bem calmo . So um pouco de desconforto no peito mais nada que atrapalhe .
        Qualquer duvida estou a disposição .
        Abraço .

  36. Nome: Luiz Tadeu O Soares

    Email: Ltosoares10@gmail.com

    Idade: 60 anos

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Rio Grande do Norte

    Profissão: Bancário aposentado

    Medicamentos: Selozok e farvarina

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 7 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Caros amigos, um abraço a todos ! Tenho 60 anos de idade e moro em Natal Rio Grande do Norte , a primeira vez que eu tive fribilacao atrial foi em 2009. Mesmo medicado com Ancoran 200 mg , selozok 100 mg e farvarina 5mg,diariamente , continuei tendo crises. Nos primeiros anos a cada seis meses e depois elas se tornaram mais frequentes ocorrendo a cada dois meses no último ano. Creio que não há necessidade de relatar os sintomas nas crises, em mim eles eram bem severos. Tentei outras medicações como ritmonorm 300 mg, mas não obtive sucesso. Então meu médico me sugeriu fazer ablação. Procurei o Dr. Flavio no hospital do coração em Natal , arritmologista muito experiente e que vem fazendo o procedimento de ablação a muitos anos. Ele me explicou todo procedimento , o que me deixou muito tranquilo e confiante. O hospital está equipado com equipamentos de última geração e eles fazem a ablação toda semana . Fiz a ablação no dia 9 de dezembro, a recuperação foi super tranquila sem nenhum dos sintomas relatados em alguns depoimentos de pessoas que fizeram o procedimento. Eu recomendo a todos que sofrem do problema fazer A ablação. espero nunca mais ter crise e após três meses deixarei de turmar todos os medicamentos.

    • Que continue assim sua recuperação Luiz. Obrigado por compartilhar sua experiência e pela coragem de fazer o procedimento. Abraço.

  37. Nome: Teodoro

    Email: fruteo@uol.com.br

    Idade: 63

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Empresario

    Medicamentos:

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 6 meses

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Vou fazer Ablacao em 24 janeiro

  38. Nome: Frederico paiano filho

    Email: Fredericopaianofo@hotimail.com

    Idade: 52

    Sexo: Masculino

    País: brasil

    Estado: Paraná

    Profissão: comerciante

    Medicamentos: sotalol 160 cada 12h

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 15 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Boa noite pessoao tenho fa a 15 anos e ate hoje nao consigo acostumar com ela,pois no começo das arritinias era so extra sistole e com o passar dos anos virou fa ,ai a coisa ficou preta a vida mudou completamente a cada 60 dias me da uma crize ai tenho que ficar internado tomando ancorao na veia e anti coagulante ai vc ja dezencadeia depresao pois a fa começa a limitar sua vida vc fica com medo de sair de casa .viajar etc, tua vida vira um calvario .pois tem bastante gente k consegue conviver com ela k nao é o meu cazo ,meu medico da minha cidade é contra a ablacao mais nao da para viver assim mais ,uma vida em panico pois nao é so vc k sofre é todos os seus familiares tambem .entao marquei o procedimento da ablacao em curitiba pr com o Dr niraj , e espero que Deus me de uma vida nova que tudo de certo no procedimento amem.

  39. Nome: Jussiara Melo

    Email: jussiaramelo@yahoo.com.br

    Idade: 58 anos

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Bahia

    Profissão: Vlogueira e aposentada

    Medicamentos: Puran T4 de 100, Losartana de 50, Ritmonor de 300 2x ao dia, Xarelto de 20 e Sinvascor de 20

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 2 meses

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website: http://meumundoadentroblog.wordpress.com

    Comentário: Dia 3 de Novembro de 2016 tive a minha primeira e séria FA. Fui parar numa UPA e após eletro e uma série de exames, fui medicada por Amiedaorona via venosa.
    Ainda sem saber os motivos e sem me ligar na problemática, levei o mes todo sem medicação e fazendo exames. Deu tudo normal.

    Um mes depois, tive a mais séria FA de todas. Fui para a emergência do Hospital Santa Isabel, em Salvador, referência em cardio. Lá me deram dois comprimidos de Ritmonorm e fizeram vários exames. Graças a Deus, deu todos normais e quando o eletro deu ritmo sinusal, eles me liberaram e me encaminharam urgente ao meu cardio. Logo no outro dia, fui e já levei os exames porém o M.A.P.A acusou pressão arterial altíssima, incluindo aumento durante o sono.

    Daí saí com a receita em mãos e cheia de remédios. Uma das consquências da FA e talvez a mais séria, é o AVC. Eu fiquei assustada quando passei a pesquisar. Por isso a importancia de anticoagular.

    Confesso que estou com o astral muito baixo. E muito assustada porém estou buscando informações sérias e precisas para conviver com a FA e não permitir que outros danos se aproximem.

    De lá para cá, mantenho o ritmo normal salvo alguns momentos onde eu sinto palpitações. Aí eu fico em pânico e tudo piora. Ando com medo mesmo. Meu sonho de morar fora de Salvador, em minha casinha de praia, precisa se manter. Não posso deixar que um evento como esse me atrapalhe a vida. Portanto ando pesquisando e pesquisando mas a cada pesquisa, fico mais triste.

    Dias atrás, aqui na casa de praia onde estou, fiz caminhadas vigorosas e não me senti bem. Ao tirar a pressão, o monitor mostrou uma FC de 110. Fiquei aflita e logo depois perdi o apetite e dei para chorar. A palpitação aumentou e eu tomei o Ritmonorm antes da hora e aos pouco fui melhorando.

    Espero nunca precisar fazer nada invasivo ou cirúrgico. Peço a Deus que as medicações, se não resolverem, ao menos controle. É muito ruim ter a FA de auto resposta, pois é onde a gente sente a taquicardia. Eu não sabia que ela é assinomtica.

    Observo aqui, vários fibrilados que não usam anticoagulante. E tem mais: segundo as 3 fontes médicas que eu pedi outra opinião, TODAS me informaram que somente o Xarelto ou Marevan nos preotegem do AVC. A aspirina ou AAS não tem efeito para FA.

    Vamos ficar alertas e nos cuidar e o melhor: CONVIVER E VIVER a nossa vidinha.

    Um abraço,

  40. Nome: Marcelle

    Email: marcelle_velarde@hotmail.com

    Idade: 32

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Goiás

    Profissão: Do lar

    Medicamentos: Nemhum

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Não tenho

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: Meu esposo fez e tem sintomas e gostaria de entender sobre o assunto para ajudá lo melhor!

  41. Augusto

    Tomei ancoron vários anos meu primeiro médico passou 1 comprimido de 100 MG por dia procurei um especialista mudou para 200 mg pela manhã e 200 mg pela noite hoje tenho minha pele toda manchada com as vista ruim e com dificuldade para respirar e aumento dá tireoide.Tomando atualmente, ritimonorme de 300 mg metade pela manhã e metade a noite, ruvastatina e clonazepam, continuou com FA e arritmia
    Selozoke de 50 mg, marevam de 5 mg,

  42. marco aurelio rodrigues carneiro

    Tive fibrilação Atrial no inicio de 2016. tinha bebido bastante no decorrer da semana , senti alguns desconfortos no peito. Mas continuei fazendo merda. uma semana antes tinha bebido uma bebida jose cuervo , acho que era falsa. então em uma quarta feira fio beber em uma praia de nudismo e correr pelado. ao chegar em casa me sento estranho. toquei uma punheta para distrair . o que ficou mais estranho é que não me sento cansado . foi como se estivesse sem batimentos cardíacos. mas na verdade eu estava fibrilando e não encontrando pulos. mas na madrugada encontrei . batia duas vezes depois três depois uma. todo desconcertante. dei um barrigada no banheiro e fui ao hospital. La o meu pesadelo se concretizou. fui para UTI emergencial revertido com amiodarona na veia. sai 24 hrs depois tomando selozok todo dia.
    fui a um eletro fisiologista que mudou o remédio para athenolol. Poi o selozok estava me deixando broxa.
    um mês depois veio elas; a extra-sístoles. vocês sabem o que eu to falando. o troco ruim da p….
    tem um bordão que diz “cada mergulho um flash” na extra-sístoles e cada uma é um susto. é como se pulasse um mostro godzila na sua frente por 1 segundo.
    então fui a um cardiologista renomado no RJ. Já publicou 2 livros… acho que não vou ler…
    enfim fiz todos os exames não deu nada, nenhuma cardiopatia nem extra-sístoles no holter. e ainda tive uma síndrome do pânico nesse exame.
    dai ele me deu amiodarona 200mg todo dia. todo santo dia eu tomo. Parou ele diz que é dose mínima que e tranquilo não vão acontecer nada de mal. Mas quando vejo na internet e desesperador… processo evolutivo … tento achar que comigo será diferente. quem sabe volto aqui para contar.
    Hoje tenho palpitações mas acho que é psicossomático. Pois é bem fraquinho e quando me mexo. ex despreguiçar ou mexer no estomago.
    estive vendo seus depoimentos gostaria de dizer uma coisa que ninguém fala. já pararam pra pensar no estilo de vida que vocês levam? as emoções são muito atreladas ao cérebro. pessoas enfartam por emoções fortes. acho que dependendo do estresse , estilo de vida e alimentação bombardeiam o coração que uma hora ou outra vai “bater o pino” , vai dar ruim . é como um carro em alta velocidade com óleo velho ou filtro bem antigo… não houve manutenção adequada. isso tem que ficar ligado

    • marco

      posso dizer uma coisa?
      acho que ninguém ajuda ninguém. Realmente estou perdendo as esperanças.
      Tenho irmãos na área da saúde. peco ajuda as pessoas… não vejo nada…
      tem um medico que esta me dando amiodarona. MAs em todos os outros que eu vou. escuto troco ruim desse remedio
      vou troca de medico…
      gente vamos fazer um grupo de zap… so agente sabe o que passamos . vamos nos unir

  43. Nome: Luiz Cesar

    Email: luizcesaroliveira@yahoo.com.br

    Idade: 36

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Engenheiro Industrial

    Medicamentos: Selozok 50mg

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 2 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Em Fev/14 tive uma taquicardia na qual meus batimentos cardiacos chegaram a 235, fui diagnosticado com dupla via nodal. Resolvi fazer cirurgia para correção desse problema em Ago/14, porém 1 semana antes de realizar a cirurgia, me senti estranho e fui verificar se era alguma coisa, e constatado Fibrilação Atrial, mesmo assim segui com a Ablação para corrigir a dupla via Nodal, o que poderia ser a causa inicial da FA.
    Após realizar a cirurgia (1:30 de procedimento super tranquilo) fiquei bem por uns 4 meses, depois disso comecei sentir extra-sistoles e Fibrilações principalmente a noite antes de deitar, no inicio eram segundos, que se transformaram em minutos e depois horas.
    Resolvi tentar a ablação (ja que a primeira havia sido tranquila), e exatamente 1 ano após a primeira ablação, fiz essa ablação para FA que durou 6:30 de procedimento, 1 dia na UTI em recuperação e liberado no segundo dia.
    Tomei Xarelto, Ritmonorm por 3 meses, depois fiz alguns exames, meus batimentos mantiveram um ritmo um pouco alto (faixa de 110, ou 90 em repouso), e foi receitado Selozok 50mg.
    Hoje faz 1,5 anos da cirurgia, no geral me sinto muito bem, as vezes algumas extar sistoles. Faço acompanhamentos e no holter sempre aparece episodios muito curtos de arritmias, nada que necessite de medicamento ou intervenções.
    Tentei fazer exercicios (corrida) mas sinceramente quando iniciei senti algumas extra sistoles a mais entao resolvi dar um tempo. Não sinto que posso voltar como era antes, porém estou super feliz com a situação, me considero cardiopata porém controlado. Recomendo a cirurgia sim, é super tranquilo, você não vai ver nada, só quando deitar e de repente ja esta no quarto.
    Antes da cirurgia era Fibrilação frequente.
    Graças a Deus estou controlado, porém ainda com medicamento Selozok que ajuda a baixar a adrenalina.
    Fiquem com Deus

  44. D.S.

    Arno, penso que a sua situação sendo estável, e como está protegido com o anticoagulante Eliquis, não correrá grandes riscos. De qualquer forma, uma consulta ao cardiologista é sempre recomendável.
    Eu tenho fibrilhação paroxística e as minhas crises não são de ignorar. Vou fazer ablação!
    Um abraço!

  45. Nome: Arno

    Email: arno@mhbpar.com.br

    Idade: 67

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Rio Grande do Sul

    Profissão: Empresário

    Medicamentos: ELIQUIS 5mg

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 2 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: Sou fibrilado crônico assintomático. Quando descoberta a condição a pouco mais de 2 anos a ablação já não era recomendada pelo longo período de fibrilação já vivido pois tinha histórico de mais de 30 anos com extra sístoles que acabaram revertendo em algum momento para fibrilação. Tenho evitado os cardiologistas na medida do possível pois a cada nova consulta sugerem mais uma medicação (como beta bloqueador) e me sinto como um objeto raro que merece estudo e experimentos. Tenho uma vida normal evitando excessos e caminhada ao invés de automóvel sempre que possível. Aposentado com engenheiro em telecomunicações me dedico como diretor de finanças em duas empresas para manter o cérebro e corpo ocupado. Tenho poucas informações sobre perspectivas de vida para fibrilados e não procuro muito a internet pois as informações podem ser falsas ou erradas. Sequer sei diferenciar as mudanças pela condição cardíacas e as da própria idade já que elas se sobrepõem. Gostaria de saber de outros nesta condição pois não conheço ninguém pessoalmente nesta situação.

    • ronaldomarinho65

      Boa tarde.

      Fiz a ablação depois de dois anos de arritmia, também e fui sucedido parcialmente, mas estou muito melhor do que antes. Tenho 51 anos hoje, mas, fiz com 50, e meu médico foi muito seguro ao me recomendar.
      Tratei no hospital Instituto Biocor em BH e lá são muito bons.
      Talvez, valha a pena uma visita sua lá.

      Sucesso!!

Navegação de Comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: