Depoimentos

Publique aqui seu depoimento, sua experiência pessoal com a fibrilação atrial. Fale sobre técnicas alternativas e/ou procedimentos adotadas para conviver melhor com o problema. Ou ainda, para aqueles que se aventuraram em uma ablação por cateter, por favor, contem como foi a experiência e como estão se sentindo atualmente.

Os depoimentos serão enviados automaticamente para mim, e, logo após minha aprovação, serão publicados aqui no site. Funciona desta maneira para evitar que comentários criados por robôs de propaganda sejam publicados indevidamente. Normalmente em 24h seu comentário já deve estar aprovado e disponível para todos os leitores do blog.

Anúncios
554 Comentários

554 opiniões sobre “Depoimentos

Navegação de Comentários

  1. Nome: Aline

    Email: dias.aline86@yahoo.com.br

    Idade: 31

    Sexo: Feminino

    País:

    Estado: Minas Gerais

    Profissão: Enfermeira

    Medicamentos:

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 17 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Olá, sofro com FA desde os 13 anos de idade e confesso q não é nada fácil por 16 anos fui tratada como ansiedade, piti, ninguém leva fé no q a gente sente pois todos exames nunca acusaram a FA, toda vez q tinha as crises elas passavam rapidamente cerca de 5 minutos e qnd chegava ao hospital já havia normalizado. Me sentia muito frustada e comecei a achar q estava ficando louca. Um dia estava trabalhando no hospital e tive um crise das piores já senti, como trabalho no bloco cirurgico todos prestaram os primeiros cuidados e graças a Deus o eletro constatou a FA,minha frequencia chegou a 300 bpm e fui direto p uti, apresentei reação alergica a amiodarona e quase tive uma parada cardíaca, fui tratada com propafenona e a FA demorou 8 horas p reverter, q angústia e sensação de morte isso ocorreu em novembro de 2016. Em janeiro de 2017 resolvi fazer a ablaçao, foi tranquilo mas infelizmente apos 30 dias tive outra crise de FA e minha continua esse pesadelo e com esse fantasma a me perseguir. Existem dias bons e dias ruins. Penso em fazer outra ablaçao pois meu cardiologista não quer q eu remédios e eu não tomo. Isso para a vida da gente, td dá medo: viajar, fazer esportes, é horrível. Espero q tds possamos encontrar solução p esta doença atormentadora.

    • Marcio

      Oi Aline, sou o Marcio de alguns posts aqui abaixo, tive dois episodios de FA num espaço de 12 meses e fiz a ablação, vou fechar 3 meses e até agora tudo certo, não tive mais, só as vezes tenho sentido neste ultimo mês algumas extrassistoles, estão mais frequentes que antes, coisa de 10 por dia, algumas mais fortes outras mais fracas.

      Eu tive alguns episódios iguais ao seu na adolescência, o coração disparava do nada por uns 4 ou 5 minutos e depois voltava ao normal. Tive isso umas 8 vezes num espaço de 5 anos. Nunca foi diagnosticado. Depois tive uns 10 anos sem sentir nada, mas em exames de rotina descobri extrassistoles supraventriculares, quase 20mil por dia, não sentia nenhuma. Uns 7 anos depois de descobrir as extrassistoles é que senti essa fibrilação mais fraca, uma sensação estranha no peito, a frequencia não aumenta muito, mas com o tempo se cansa, enfim.

      Bom, já que você é enfermeira, eu tenho algumas perguntas, outras pessoas aqui podem ajudar também… a primeira é se esses primeiros episódios que eu tive na adolescencia podem ter sido essa FA mais forte como a que você teve. E a outra é que como todos devem saber, existem muitas pessoas com FA que são assintomáticas, a minha dúvida é se é possível ser os dois, as vezes sintomatico e as vezes assintomatico… ou entao ser sintomático e depois da ablação passar a ser sintomatico. E por ultimo, a FA que eu senti foi essa que a frequencia não aumenta muito, fica nos 80-90 em repouso… a pergunta seria se isso quer dizer que eu sempre vou ter essa FA mais branda, ou se há a possibilidade de eu ter essa FA mais forte que a frequencia dispara, certamente mais desesperante. Se alguem souber responder, com certeza vai esclarecer outras pessoas tambem.

      Um abraço a todos

  2. Nome: jorge luiz gascho

    Email: jlgascho@gmail.com

    Idade: 60

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Santa Catarina

    Profissão: autonomo

    Medicamentos: cloridrato de sotalol

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: tenho pre-escitacao desde que nasci

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: O remedio pra mim está certo posso fazer exercícios ,e outras coisas.mas agora ,é que nas sextas feiras ,tomo uma cervejinha.e de madrugada,as vezes me da tacquicardia,mas é coisa de minutos,ja fui ao cardiologista fiz holter,eco varios exames e não deu nada tambem pode ser do sistema nervoso!

  3. Nome: Vandré Ducasble

    Email: vandreducasble@gmail.com

    Idade: 37

    Sexo: Masculino

    País:

    Estado: Rio de Janeiro

    Profissão:

    Medicamentos:

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Esse ano

    Já pensou em fazer ablação?:

    Website:

    Comentário: Oi Pessoal, resolvi escrever, porque me senti meio perdido quando descobri minha Fibrilação Atrial (FA) e acredito que muitos podem se sentir assim também.
    Tive um caso de FA em agosto de 2014, foi assintomático, senti apenas um mal estar e resolvi ir ao médico, pois sou hipertenso. Chegando lá me diagnosticaram com FA, que reverteu sozinha no mesmo dia. Fui procurar um especialista e fiquei tomando Xarelto, Concor e a Losartana que já tomava para a pressão. Fiz todos os exames (Holter, MAPA, Ergométrico, Ecocardiograma) e deram todos normais. O médico me liberou do uso do Xarelto e segui minha vida.
    Em 23 de Janeiro desse ano (2018) em viagem com a família, acordei de madrugada com o coração disparado e desritmado. Corri para um posto de saúde (na cidade não tinha hospital) e no eletro acusou FA. Tomei Amiodarona na veia e apos algumas horas a FA reverteu.Em Fevereiro tive dois novos quadros de FA e, por indicação da minha cardiologista, resolvi fazer a ABLAÇÃO. O processo foi bem mais tranquilo do que imaginei, eu tinha muitas dúvidas e receio de algo sair errado, mas foi tudo bem e no dia seguinte tive alta (Eu fiz a ablação dia 08/03/2018). Segui o uso de medicamentos que a médica indicou (Pradaxa, Ancoron, Diltiazen e Venzer HCT). Eu já sentia palpitações antes do procedimento e continuei sentindo após, principalmente nos momentos de repouso. Uma semana depois do procedimento, eu tive um novo quadro de FA, fui para emergência e, mesmo tendo revertido poucas horas depois, fiquei internado em observação por dois dias. Os cardiologistas que procurei e os relatos que li na internet, dizem que é normal sentir palpitações e até mesmo ter uma arritmia nesse período de 90 dias após a ABLAÇÃO. Então estou tentando ser confiante de que o procedimento deu certo.
    Acho que é um procedimento bem válido, é uma chance de parar com a medicação, que sabemos ser bastante prejudicial.
    Depois mando mais informações sobre a evolução do tratamento.

  4. Nome: Eduardo

    Email: eduhsc@yahoo.com.br

    Idade: 40

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Minas Gerais

    Profissão: Engenheiro

    Medicamentos: Selozok

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Mais de 20 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Realmente. Certa vez consultei com um especialista no Biocor em BH que me disse: “Vendo seus exames, se fosse nos EUA, te levaria agora pra internar e fazer a ablação amanhã cedo. Você é um caso ideal, pois não possui outras doenças nem ma formação do coração.” Mas infelizmente não tenho coragem ainda de fazer.

  5. Débora

    Tenho FA desde 2011. Já passei por uma tentativa de ablação sem sucesso pois no meio do procedimento acabou a energia no hospital e lá não havia gerador,como era um hospital público voltei para o final da fila de espera. Já fiz uso de vários medicamentos: Propafenona, bisoprolol, verapamil, atenolol,sotacor e por aí vai…Todos depois de um tempo paravam de fazer efeito. Hoje trabalho em uma empresa que me proporcionou ter um plano de saúde. Vou tentar mais uma vez o precedimento. Estou sem minha medicação a sete dias e já tive mais de 3 crises,na última meu coração chegou a 280 bpm,uma sensação horrível que não desejo a ninguém. Espero poder resolver esse mal em minha vida e espero também que cada um de vocês que sofrem disso também encontrem uma solução.

  6. Nome: Luciana Ferreira

    Email: lucianaferreira15@live.com

    Idade: 45 anos

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Dona de casa

    Medicamentos: Eliquis e ritmonom

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Faz uns 6 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Eu faz uns 6 anos que sentia meu coração da umas disparava ia ao cardiologista Ele me dizia q era ansiedade sou hiper tenda ,mas minha pressão é controlada, de um ano pra cá meu coração disparava chegava ao cardiologista fazer esteira, mapa,rolter e eletros e mais eletros nunca constava nada,um dia meu coração acelerou corri no cardiologista com o coração disparado ai ele descobriu a fibrilacao atrial,comecei fazer o tratamento com medicamentos ,ja estou tomando 3 comprimidos por dia e ainda continuo com arritimia fica 3dias sem arritimia penso q fui curada ai vem ela de novo, quero minha vida de volta😢

  7. Nome: Jeanete Zambelli

    Email: jeanetezambelli@yahoo.com.br

    Idade: 64 anos

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Educadora aposentada

    Medicamentos: Atenolol(50mg), hidrocortiazida, enalapril 20mg, sustrate, vastarel MR 35, marevan, omeprazol, amiodarona 200mg, sinvastatina 40mg.

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Aproximadamente 3 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: Faço tratamento há muitos anos no IDPC, há tres anos venho apresentando fibrilação atrial com acom panhamento na eletrofisiologia, com uso de marevan e acompanhamento na anticoagulação.
    Há um ano fiz uma cardioversão, sem sucesso e continuei com o tratamento com remédios, sentindo-me porém, a cada dia com mais problemas de qualidade de vida. Cansaço, falta de ar, dor no peito, fadiga até para me alimentar. Isto acabou mudando meus hábitos, acabei engordando por conta da vida sedentária que passei a ter. Não conseguia fazer trabalhos básicos, me limitando cada vez mais. Há dois meses, foi introduzido no tratamento amiodarona 200 mg duas vezes ao dia, e ontem fiz uma nova cardioversão que teve sucesso e voltei a ter ritmo sinusal.
    Estou me sentindo bem, porém, com algumas dores no peito e desconforto, mas, sinto que não é do coração e sim, do procedimento( muscular ).
    Acredito que as pessoas que sofrem de fibrilação atrial, sofrem principalmente pela insegurança em saber que é um mal que pode voltar sem aviso prévio. Estou feliz por ter conseguido, mas ao mesmo tempo, dá uma sensação de ter que deixar tudo resolvido, tipo esperando sempre pelo pior: o medo de um AVC.
    Sou uma pessoa otimista, mas, as vezes me pego arrumando tudo, como se não houvesse tempo…
    Dependendo do médico que me atende, fico com um sentimento pq é difícil lidar com algo tão variável e sem definição.
    Obrigado
    Jeanete Zambelli
    Adorei ter um espaço para falar a respeito.

  8. Nome: Aparontes

    Email: cidaf960@gmail.com

    Idade: 58 anos

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Rio de Janeiro

    Profissão: aposentada

    Medicamentos: selozoki ,trezor e corus

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: tres anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website: http://ja%20%20fiz

    Comentário: Gostaria de saber sobre a oclusão da auricoleta e as vangens d e se fazer ja q não posso tomar anticoagulantes.
    Gostaria de saber de pacientes q ja fizeram esse procedimento.

  9. José Mauricio filho

    Olá turma boa! também faço parte desse tìme dos fibrilados há 14 anos, o mesmo sofrimento, as mesmas inseguranças, os mesmos sintomas em fim tudo que foi relatado nos depoimentos acima, faz parte da minha vida – Pois bem: já fiz duas ablações, a última em 01/08/2014, no hospital do coração. em Fortaleza ceará, com nove meses, o coração voltou a fibrilar mesmo tomando todos os medicamentos prescrito pelo meu fisiologista, fui internado por 7 dias, meu coração voltou ao rítimo normal no terceiro dia com uma aplicação de amiodarôna injetável no soro, estou com três anos sem episódio graças a Deus, mas todos os dias sinto taquicardia supraventriculares paroxisticas e palpitações. Hoje sou medicado com propafenona, anticoagulante e antedepressivo, felismente essa é a vida de quem sofre desse problema. Quanto a ablação? é um procedimento cirúgico, por mais simples que seja corre risco, feito com anestesia geral, você não sente dor, geralmente quando você acorda, já está no leito e tem alta com 24 horas, se tudo correr normal. Não tenham medo se não lhes fizer,mal é que não faz – com relação ao que falei das taquicardia

    • Márcio

      Olá, tenho 28 anos e FA paroxística diagnosticada em Dez/2016. Passei um ano normal sem medicação e voltei a ter em em Dez/2017. Fiz a ablação fazem 8 dias, tenho sentido algumas palpitações, coisas que eu nunca senti, deve ser pelo coração estar inflamado. Fora as FA’s nunca senti nada errado no peito. Desde o procedimento sim, algumas palpitações leves e muita vontade de tossir, devem ser extrassistoles. Estou tomando ritmonorm agora diariamente. Espero que tudo corra bem e não tenha fibrilação por alguns anos. O pior de tudo é o pós-operatório, não pode mexer a perna e eles deixam acessos nas veias pra não precisar injeção caso necessite algum remédio na veia. Meus braços estão roxos por isso, o roxo na virilha é menor. Tudo isso tem sido um inferno pra mim, minha vida está parada por causa dessa doença, e hoje eu me sinto pior do que no dia anterior a ablação… optei pelo procedimento só por medo de tomar remédio diário e seus colaterais, devido à minha pouca idade. Agora meu coração está irritado e tendo essas palpitações e tossindo muito, não me sinto seguro pra sair de casa, e em repouso ele está um pouco mais acelerado, antes o normal em repouso era 50-55bpm e agora está em 65-70bpm. Espero que tudo melhore mas lendo os relatos aqui, dá um pouco de desânimo, há muita gente que repete o procedimento e mesmo assim não cura. E eu com só dois episódios espaçados por 1 ano já fiz a ablação… vou ter de esperar um ano pra ver se vou fibrilar ou não e aí sim poder dizer se estou curado ou não… que saco! frustrante

      • Débora

        Sei como se sente. Já fiz duas vezes e nenhuma tive sucesso. Vou para terceira agora,com um medo terrível de não dar certo. Minha vida é toda limitada, não posso correr,nem beber café, bebidas alcoólicas nem pensar. Fora quando tenho a crise dormindo,ter meu coração a 280 e pensar sempre agora eu vou morrer. Essa doença acaba com as nossas vidas. Espero que você esteja melhor e tenha dado certo desta vez. Abraços.

      • Marcio

        Oi Debora, felizmente todos os sintomas do pós-ablação sumiram. Tenho minha vida normal hoje, sem sentir nada, do mesmo jeito que antes; como só tive fibrilação 2 vezes num período de 12 meses, acho que vou ter de esperar até o final do ano e até mais um pouco pra poder dizer que ñ tenho mais FA. O que tenho tido mais frequentemente são as extrassistoles. Tenho mais 10mil por dia já há muito tempo, mas raramente sinto alguma, nunca dei bola. Agora estou mais sensitivo a elas, principalmente quando bebo um pouco mais. Em média tenho sentido umas 2 ou 3 por dia, podendo passar de 20 se consumo alcool. Ñ me afeta muito, apesar de ser um fantasma; no momento que sinto a extrassistole, ñ dá pra saber se é o inicio de uma FA ou o que, então sempre é um pequeno susto… é dificil descrever, parece um soluço, um pequeno aperto no peito e então volta ao normal… enfim, já tenho a mesma qualidade de vida de antes, em breve vou completar os 3 meses de pós-ablação e esse é o tempo pra medicina considerar a ablação um sucesso ou não… eu prefiro esperar os 12 meses, ou uns 18 pra garantir hehe

        Eu vejo aqui no blog muita gente sofrendo de verdade com a FA, pra mim é só um grande fantasma que levo comigo, uma coisa chata dificil de não pensar… tive apenas 2 episódios de FA e já fui pra ablação, decidi ñ tomar remédio.

        Vou seguir fazendo updates do meu procedimento, sei o quanto estes relatos aqui do site ajudam as pessoas que tem isso ou conhecem alguém que tem.

        Força a todos e ñ deixem em hipotese alguma essa porcaria afetar a vida de vocês. Sigam em frente, sem medo!

        Um abraço a todos

      • Realmente estou vendo cada vez mais casos de pessoas indo direto para a ablação sem passar pelo tratamento medicamentoso. Parece ser realmente uma tendência.

    • Maria Carolina

      Olá, que bom que teve sucesso. Tenho 40 anos e faz 10 meses que descobri a fibrilação atrial. Semana que vem na quarta feira vou fazer pela.primeira vez a cardioversão. O médico está muito otimista, pois não tenho nada além da F.A. Sou atleta, tenho uma vida muito ativa, mas nós últimos meses estou com muito medo pois isso parei com tudo. Agora me sinto muito cansada, e sem fôlego, parece que estou cada vez pior. Espero que dê certo. Também estou muito tensa e com medo de fazer cardioversão

      • Carlos Spindola

        Ola Boa Tarde eu ja Fiz 02 vezes cardioversao devido ter arritmia atrial vou ter que fazer uma Radiofrequencia mais pode ficar despreocupada que nao faz medo qualquer coisa me chama no zap 061 999334826 sou Enfermeiro a 5 anos

  10. Nome: edison viana larabrasil

    Email: edisonvlara@hotmail .com

    Idade: 70

    Sexo: Masculino

    País: brasil

    Estado: Minas Gerais

    Profissão: corretor de imoveis

    Medicamentos: aradois

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 7 anos

    Já pensou em fazer ablação?:

    Website:

    Comentário: fiz procedimento cardioversao.Nao sinto manifestaçao nenhuma de qualquer natureza.

  11. Nome: ALTABRAM ROCHAEL

    Email: altabram@hotmail.com

    Idade: 58

    Sexo: Masculino

    País: BRASIL

    Estado: Minas Gerais

    Profissão: PROFESSOR

    Medicamentos: RITMONORM

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 10 ANOS

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: BOM DIA. ESTOU COM UMA ABLAÇÃO MARCADA PARA DIA 30/01/2018. ESTOU MUITO ANSIOSO E ANGUSTIADO. PEÇO PARA QUE OS COLEGAS DO BLOG FAÇAM UM PENSAMENTO POSITIVO POR MIM. OBRIGADO. GRANDE ABRAÇO A TODOS.

    • Isis Tavares de Oliveira

      Altabram, tente manter a calma. Em geral, a ablação é tranqüila sob anestesia. Acordei bem, pronta para somente descansar. Já fiz 3 vezes. Mas antes de fazer a primeira também fiquei muito ansiosa, muito preocupada, com medo, pensava mil coisas. Porém, depois de despertar da anestesia, tudo correu bem todas as vezes, sem dores pós-operatório, boa recuperação. O chato é so’ ficar horas com a perna sem mexer. Mas isto tira-se de letra, tem que ter paciência. O problema é a FA voltar depois de vários meses.

      Espero que tenha sucesso a sua ablação e que fique curado de vez da Fa.

    • Jorge Menezes

      Certamente!!! Tente relaxar o máximo que puderes, eu já fiz e não senti nada. Quanto mais relaxado, melhor. Pensamentos positivos. Irá dar tudo certo, creia. Abraços!!!

    • Anthero Lopérgolo

      Já fiz ablação. É bem tranquilo, mas não é garantia de cura não. Vou ter que fazer novamente.

  12. Dirce Dalbello

    Dia 11 de janeiro de 2017 fiz a quarta ablação, no sétimo dia passei mal novamente ,só reverteu com a cardioversão ,hoje faz 10 dias que fiz a ablação, mas não posso fazer nenhum esforço que sinto os braços e as pernas pesadas e meu coração parece que vai sair do ritmo. Espero em Deus que isso seja só o período de recuperação. Agora vou procurar médico homeopata, já tomo cloreto de magnésio PA há um ano e também óleo de krill , vou procurar tudo que eu puder para acabar com essa fibrilação atrial. Esses remédios receitados pelos médicos só provocam outros tipos de problemas. Eu tive um choque com amiodarona não posso tomar de jeito nenhum, mas ela também faz mais mal do que bem . Que Deus nos abençoe para que encontremos a cura para esse problema horrível.

    • Isis Tavares de Oliveira

      Dirce Dalbello,

      Boa noite!

      Eu fiz 3 ablações. FA persistente. Em dezembro de 2015 a primeira depois de um pouco mais de 4 meses fibrilando, 2 deles com o uso do Xarelto que não me fazia mal somente durante 3 meses Depois da primeira ablação o médico para trocou por outro – Eliquis devido às minhas queixas sobre os efeitos colaterais. O Eliquis bem melhor. Durante um mês inteiro após a primeira ablação não sentia nada, parecia curada, mas o tempo passou e a FA parecia voltar pouco a pouco apesar de eu continuar sempre com os antiarrítmicos. Mas realmente voltou com tudo em dezembro 2016. Então fiz a segunda ablação em fevereiro de 2017. Passou alguns meses e voltou, mas desta vez eu nada sentia apesar de eu continuar aindacom os antiarrítmicos. Apareceu no exame do holter e eletrocardiograma. O médico tentou reverter com amiodarona e a mesma quase nem fazia efeito. Sendo assim, foi marcada outra ablação para setembro 2017 que foi mais simples que as outras. Em todas, os sintomas ressentidos sempre melhoraram muito. Tive consulta em dezembro de 2017 e o médico disse que tudo ia bem, apesar de eu ainda sentir umas batidas mais fortes e seguidas de vez em quando. Ele encerrou também completamento o tratamento medicamentoso. Parece ser normal em casos de FA persistente. Sinto-me melhor, mas esses batimentos triplos ou quíntuplos de vez em quando me preocupam, pois tenho receio que a FA volte, como ocorreu noutras vezes. Fiquei contente com o fato de ficar livre de qualquer medicamento, pois com o tempo ocasionam outros problemas. Detesto tomar remédios. Prefiro a homeopatia também, mas em certos casos os médicos não recomendam ou não acreditam nos benefícios da homeopatia. Mas entendo que nem sempre pode-se contar somente com produtos naturais nestes casos de FA.
      Quando li o seu depoimento fiquei pensando que talvez eu não esteja livre duma quarta ablação. Eu espero que a última que fiz seja para sempre ou ao menos que dure bastante tempo. Mas os casos de cura total da FA persistente são poucos pelo que leio em comentários. Cada caso é um caso e bem diferentes de uma pessoa a outra.

      Eu também sigo na busca de métodos alternativos e mais naturais para ao menos acalmar o ritmo acelerado, ansiedade, tentar prevenir uma possível volta da FA

      Eu espero que você esteja curada depois da quarta intervenção. Estimo melhoras e siga sempre no ritmo.

      Isis

      • Dirce Dalbello

        Isis ! Boa tarde!! Cheguei à pouco do médico que me fez a ablação, infelizmente tenho medo sentido muito mal , não primeira postagem errei a data , fiz a quarta ablação dia 11/01/2018 , faz menos de dois meses, ele diz que preciso esperar pois o coração ainda está bem inflamado .Nos ecotransesofagicos que tenho feito consta que meu átrio esquerdo aumentou de tamanho. Hoje ele também disse que daqui uns tempos posso fazer a quinta ablação, mas não sei se terei coragem prá isso. Difícil o dia que passo sem pelo menos uma extra sistole ou FA . Continuo tomando Ritmonorm,Selozok, Xarelto e a noite tenho que tomar Clonazepan. Espero em Deus que você esteja bem!

      • Isis Tavares de Oliveira

        Como vai Dirce?

        Espero que a cada dia melhore um pouco mais. Tem que ter muita paciência, esperar os 3 meses ou até 4, para o coração cicatrizar bem; A minha terceira ablação parece ter surtido mais efeito, pois o médico encerrou todos os medicamentos 3 meses depois. A partir de meados de dezembro não tomo mais medicamentos. A maior parte do tempo batidas constantes, regulares. Porém, sinto extrassístoles todos os dias. Antes, dias depois da terceira ablação, era uma a duas vezes por dia que sentia e às vezes umas batidas em salvas, de segundos , algo normal no meu caso, segundo o cardiologista. Mas desde a última sexta-feira tenho sentido mais extrassístoles e dessas batidas triplas, quádruplas, quíntuplas de repente. Parece-me também que o ritmo anda mais acelerado novamente e isto quando estou sentada, calma. Espero que não sejam sinais da Fa que querendo voltar a instalar-se. Fico preocupada. Reconheço que a casa intervenção hove sempre muita melhora no meu caso, mas não gostaria de precisar repetir o procedimento.

        Estimo melhoras a você e espero que esta quarta ablação tenha sucesso a longo prazo e que não precise mais repetir a intervenção. Você questionou o seu médico, quantas vezes pode-se repetir a ablação. Pois se com 4 não resolver ‘espero que resolva, claro), será que vale à pena fazer mais?

        Abraços e fique no ritmo.

        Isis

  13. Nome: Wallace

    Email: gatewaljf@gmail.com

    Idade: 31

    Sexo: Masculino

    País: Brasil

    Estado: Minas Gerais

    Profissão: Policial militar

    Medicamentos: Nenhum

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 6 meses

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: A. 6 meses atrás tive uma crise de fibrilação andando de bicicleta logo senti o coração batendo descompassado logo comecei a tossir e voltou ao normal nem me liguei o que podia ser então continuei minha vida normalmente após 2 meses fui fazer um treino de bike 100 km quando já está chegando próximo ao término coração voltou a bater descompassado mas dessa vez durou aproximadamente umas 6 horas voltou ao normal assim que cheguei em casa nem procurei saber o que podia ser então continuei minha vida normalmente após mais ou menos 2 meses voltou acontecer estava correndo logo após acabar de correr o coração acelerou e saiu descompassado aí dessa vez procurei um hospital depois de fazer o Eletro acusou a terrível fibrilação arterial aí fiquei tomando amiadaron na véi durante 24 horas até voltar ao ritmo normal após voltar ao ritmo sinusal tive alta e a médica me passou tomar amiodarona então fiquei revoltado de ter que tomar esse remédio que lendo a bula parece sentença de morte comecei a pesquisar tudo sobre fibrilação comecei a pesquisar artigos científicos referente tratamento então decidir não tomar mais amiodarona eu mesmo comecei a me tratar conforme os artigos científicos publicados referente a fibrilação então vamos lá primeira coisa para curar a fibrilação tomar todo dia cloreto de magnésio p.a ,suplementar com coenzima Q10 50 MG por dia ,taurina 500 mg 1 comprimido por dia ,omega 3 todos os dia sem falta ,e Centrum suplementos de a az que tem todas vitaminas necessários para nosso organismo depois disso nunca mais ameacei ter fibrilação nem mesmo extra sistoles os médicos hoje só estão preocupados em tratar o que vc está sentindo então te curar por esse vício de tomar remédio a vida toda essa empresa farmacêutica que só visão lucrar e não curar o paciente

    • Cássio Oliveira

      Bom dia Wallace, tudo bem? Gostaria de perguntar a você quais fontes usou para chegar a conclusão de que essas vitaminas que você toma realmente é bom para tratar arritmia. Tenho 28 anos, fiz ablação a uns 2 anos, mas a arritmia retornou um pouco, com muito menos intensidade que antes, mas voltou. Gostaria de saber se essas vitaminas realmente tiveram efeito e se sua arritmia parou depois de começar a usar, porque como são produtos naturais, eu poderia tentar suplementa-los antes de procurar o médico novamente para outra possível ablação rsrs. Desde já muito obrigado.

  14. Nome: Marilene

    Email: marcofrozzino@gmail.com

    Idade: 67

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Dona de casa

    Medicamentos: Ritmonorm, Concor, Ancoron, Xarelto

    Pressão Alta: Sim

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 2 anos

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: É o filho da Dona Marilene que esta escrevendo este depoimento.
    Em janeiro de 2016 minha mãe Marilene teve um mal estar e pensou que fosse a enxaqueca que ela tem desde mais jovem. Como não passava depois de um mês passando mal, fez exames e identificou a Fibrilação Atrial. Começamos a fazer tratamento em um médico por 02 meses mas não deu muito certo, mudamos e em Abril de 2016 começou a tomar nova medicação. Em Maio/2016 reverteu para sinusial. Foi mensalmente ao medico até Dezembro/2017. Depois o médico considerou estável e pediu para voltar depois de 6 meses. Mas minha mãe demorou um ano para voltar, foi só agora no final de Novembro. Estava sinusial. mas com pressão alta. No sábado agora ela se sentiu mal e notamos a Fibrilação de volta, voltamos no médico sábado e domingo, o médico aumentou a dose de remédios visando reverter para sinusial. O médico disse que agora esta mais fácil pois identificou mais rápido e o coração está num tamanho estável. É ter paciência. Um abraço a todos.

    • Marco

      Correção do texto: foi no médico de Maio/2016 a Dezembro/ 2016, e voltou somente agora Novembro de 2017.

    • Marco

      Na sexta dia 08/12 voltamos no médico e depois dos exames verificou que havia voltado ao ritmo sinusial. Pediu uma cintilografia.

  15. Nome: Damaris Ferreira Lopes

    Email: Damih.ferreira@gmail.com

    Idade: 37

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: São Paulo

    Profissão: Do lar

    Medicamentos: Propanolol ou propafenona

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: Taquicardia supra ventricular ,13anos

    Já pensou em fazer ablação?: Sim

    Website:

    Comentário: Tô na fila pra fazer ablação, estou com medo, alguém já fez esse procedimento?

    • D.J

      Olá Mauri! Fique tranquilo. Já fiz duas. A intervenção é simples e vale a pena! Força! Verá que tudo correrá bem!
      Abraço!

    • Anthero Lopérgolo

      Achei a ablação mais tranquila q a cardioversão. Vá sem medo. Eu me internei às 16:00hs e as 9:00hs do dia seguinte já tive alta. Não tive dores nem sangramento na virilha. Aliás, fiquei bem surpreso com minha recuperação. No entanto, o flutter atrial voltou, e devo fazer outra ablação nos próximos dias.

  16. Nome: mauri

    Email: Mauri.ceia.rs@gmail.com

    Idade: 38

    Sexo: Feminino

    País: Brasil

    Estado: Rio Grande do Sul

    Profissão: enfermeira

    Medicamentos: propafenona

    Pressão Alta: Não

    A quanto tempo tem fibrilação atrial?: 6 meses

    Já pensou em fazer ablação?: Não

    Website:

    Comentário: estou muito preocupada com esse problema é não estou sabendo lidar

    • Lilian Eggers Cachioni

      Olá Mauri. Realmente estamos no mesmo barco e vamos aprendendo a lidar. Este blog ajuda a enterdermos que não estamos sozinhos e vamos trocando experiências. É assustador mesmo mas temos que ir buscando o melhor tratamento para cada caso. O seu diagnóstico é de fibrilação atrial ou outra arritmia?

Navegação de Comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: